Localiza e Unidas anunciam fusão para criar empresa de R$ 50 bilhões

Juntas, elas têm quase 491 mil veículos no segmento de aluguel e em frotas corporativas e valor de mercado de 50 bilhões de reais

Duas das maiores empresas de aluguel de automóveis, Localiza e Unidas, acabam de anunciar um acordo para a incorporação de ações, ou uma fusão. Os acionistas da Localiza passam a deter 76,85% da empresa combinada, enquanto os acionistas da Unidas ficam com 23,15% da nova companhia. O valor de mercado combinado das duas empresas é de 50,5 bilhões de reais: 39,24 bilhões de reais da Localiza e 10,7 bilhões de reais da Unidas. 

A empresa combinada terá uma receita líquida de 14,87 bilhões de reais e ebitda de 2,29 bilhões de reais, segundo os números das duas empresas de 2019. O lucro líquido somado das duas empresas foi de 1,18 bilhão no ano passado. Juntas, elas têm quase 491.000 veículos – 336.000 no segmento de aluguel e 154.000 em frotas corporativas. Por conta da transação, a Unidas poderá distribuir dividendos de 425 milhões de reais aos seus acionistas. 

“A transação resultará na união de acionistas que são referência e têm longa experiência na indústria, na combinação de talentos para prover soluções inovadoras em mobilidade, na criação de um player com escala global, comprometido com os mais altos níveis de governança e com ambição para prover a melhor experiência do cliente, aumentando o acesso da população e de empresas ao aluguel de carros”, diz a Localiza em fato relevante sobre o negócio. 

Os acionistas fundadores da Localiza, como a família Mattar e a família Brandão Resende, ficam com 8,5% e 8,1% do capital, respectivamente. Já do lado da Unidas, os acionistas fundadores Luís Fernando Porto, Sérgio Augusto Resente e Dirley Ricci deterão 2,3%, 2,3% e 1,9%, respectivamente. O empresário Salim Mattar, co-fundador da Localiza, foi secretário de Desestatização e Privatizações do governo Jair Bolsonaro, cargo que deixou em 12 de agosto. 

A transação está sujeita à aprovação dos acionistas e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE). O Bank of America atuou como assessor financeiro exclusivo da Localiza e o Banco Itaú BBA atuou como assessor financeiro exclusivo da Unidas. O Pinheiro Neto e o Machado Meyer atuaram como assessores legais da Localiza e Unidas, respectivamente. 

 

As locadoras sofreram com a pandemia. A Localiza apresentou queda de 53% nos lucros do segundo trimestre do ano, para 89,9 milhões de reais, e de quase 32% nas receitas no segundo trimestre, em relação ao mesmo período do ano anterior, para 1,57 bilhão de reais. O ebitda foi de 434,8 milhões de reais, queda de 13%. A locadora afirmou que já superou o pior da crise causada pela pandemia do novo coronavírus, com a reabertura de suas agências de aluguéis e lojas de seminovos.

Em agosto, a Localiza anunciou o fim da parceria com a Hertz, para finalizar o acordo de cooperação. A Localiza havia comprado a operação da Hertz no Brasil em 2016, tornando-se na época uma das maiores locadoras da região. Com a crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus, a americana Hertz pediu recuperação judicial nos Estados Unidos em maio deste ano.  

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?

Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?

Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.