Negócios

iFood demite 355 funcionários e enxuga 6,3% do time

Em comunicado, empresa afirma que decisão foi tomada em resposta ao "atual cenário econômico mundial"

iFood: nova onda de demissões atinge mais de 350 funcionários (iFood/Divulgação)

iFood: nova onda de demissões atinge mais de 350 funcionários (iFood/Divulgação)

Maria Clara Dias
Maria Clara Dias

Repórter de Negócios e PME

Publicado em 1 de março de 2023 às 15h18.

A empresa de delivery iFood está demitindo parte de seu quadro de funcionários no Brasil. Nesta quarta-feira, 355 funcionários foram mandados embora, algo como 6,3% do total de colaboradores.

Em nota, a empresa afirma que a decisão é uma resposta ao "atual cenário econômico mundial", que se mostra especialmente complicado para empresas de tecnologia. De acordo com o iFood, as demissões servem de ação imediata em reposta às adversidades encaradas no dia a dia operacional e simbolizam uma "mudança de rota".

Essa não é a primeira  vez que a empresa enxuga o quadro de funcionários a fim de driblar os percaços econômicos do pós-pandemia. Em junho, a empresa havia demitido 80 funcionários, além de anunciar uma redução de ritmo para novas contratações em 50%.

O movimento também acontece na esteira de uma série de demissões em massa, os chamados layoff, em outras empresas de tecnologia de escala global. Na lista, estão gigantes como Google, Amazon, Yahoo e Dell.

"O atual cenário econômico mundial tem exigido das empresas ações imediatas na busca por novas rotas para enfrentar essas adversidades. Não foi diferente com o iFood", afirma a empresa.

Perda de exclusividade

Embora não relacione os cortes a uma recente decisão do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a perda de exclusividade da plataforma junto a restaurantes, fruto de um acordo firmado no último mês, pode ter influenciado na redução do quadro.

Veja abaixo o comunicado da empresa na íntegra:

"O iFood tomou hoje a difícil decisão de descontinuar algumas posições internas, impactando em postos de trabalho de colaboradores, que ajudaram a escrever a nossa história. O atual cenário econômico mundial tem exigido das empresas ações imediatas na busca por novas rotas para enfrentar essas adversidades. Não foi diferente com o iFood. Lamentamos por cada perda e estamos comprometidos em garantir que esse momento difícil seja conduzido com o máximo de cuidado e respeito a essas pessoas".

VEJA TAMBÉM

iFood e Cade fazem acordo sobre exclusividade de delivery para restaurantes; saiba o que muda

Acompanhe tudo sobre:DeliveryiFoodStartups

Mais de Negócios

EXCLUSIVO: Natura prepara primeiro fundo de investimentos em startups; anúncio ocorrerá nesta semana

Essa startup quer fazer R$ 25 milhões com comida para pets que até você pode comer

Não invista em uma franquia sem antes responder a estas 4 perguntas

Conectarh discute como levar a Gestão Estratégica de Pessoas à mesa do CEO

Mais na Exame