Fábrica da Kinder é reaberta na Bélgica após caso de salmonela

Autorização tem duração de três meses. Cada ingrediente será analisado antes da distribuição e venda dos chocolates
 (Victoria Jones/PA Images via/Getty Images)
(Victoria Jones/PA Images via/Getty Images)
A
AFPPublicado em 17/06/2022 às 15:13.

As autoridades de saúde belgas anunciaram nesta sexta-feira (17) que deram sinal verde para a reabertura, por um período de testes, da fábrica da Ferrero, em Arlon, onde foram produzidos ovos Kinder contaminados com salmonela. 

A Agência Federal para Segurança Alimentar na Bélgica (AFSCA) "decidiu dar autorização condicional à Ferrero para sua fábrica de produção em Arlon", no sul do país, informou a autoridade em um comunicado.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

Essa autorização tem duração de três meses, durante os quais cada ingrediente será analisado antes da distribuição e venda dos chocolates.

"Esta reabertura ocorre após uma limpeza em profundidade e de controles de segurança alimentar realizadas em estreita colaboração" com a agência, disse a empresa.

No início de abril, às vésperas da Páscoa, o grupo fez um "recall" de todos os produtos fabricados em sua unidade de Arlon. A medida foi tomada após o surgimento de vários casos de salmonelose, possivelmente ligados ao consumo de chocolates em vários países da Europa.

Após os casos na Europa, a retirada preventiva dos produtos Kinder também se estendeu para Estados Unidos e Argentina.

O Centro Europeu para Prevenção e Controle de Doenças (ECDC) indicou que, até 3 de junho, havia 392 casos confirmados e 22 prováveis de salmonela identificados em países da UE e no Reino Unido.

A empresa é acusada de ter reagido tardiamente ao problema detectado em dezembro e enfrenta várias investigações judiciais.

VEJA TAMBÉM:

Camila Farani lidera gestão de fundo de US$ 50 mi para internacionalizar startups brasileiras

Com investimento de R$ 6 bi, Vokkan quer criar bairro 'high tech' no litoral de SC

Ela começou a empreender com R$ 800 e hoje fatura R$ 2 milhões com acessórios personalizados

Ex-feirante do interior de Goiás fatura R$ 25 mi com salão de beleza sem hora marcada