Negócios

Eni vende fatia de 4% na Galp, por 325 milhões de euros

A Eni vendeu a participação na Galp para investidores institucionais, a 9,81 euros por ação, 2,6% abaixo do preço de fechamento do papel ontem


	Eni: a companhia vendeu a participação na Galp para investidores institucionais, a 9,81 euros por ação, 2,6% abaixo do preço de fechamento do papel ontem
 (Wikimedia Common)

Eni: a companhia vendeu a participação na Galp para investidores institucionais, a 9,81 euros por ação, 2,6% abaixo do preço de fechamento do papel ontem (Wikimedia Common)

DR

Da Redação

Publicado em 20 de novembro de 2015 às 09h25.

Milão - A petrolífera italiana Eni vendeu a fatia restante de 4% que ainda possuía na portuguesa Galp Energia, por 325 milhões de euros (US$ 347,7 milhões), como parte de um plano de se desfazer de ativos não estratégicos para enfrentar a queda nos preços do petróleo e liberar recursos para investimentos em exploração e produção.

A Eni vendeu a participação na Galp para investidores institucionais, a 9,81 euros por ação, 2,6% abaixo do preço de fechamento do papel ontem.

Segundo plano de quatro anos apresentando em março, a Eni pretende vender 8 bilhões de euros em ativos até o fim de 2018. Assim como os concorrentes, a empresa italiana vem enfrentando dificuldades para ajustar sua estratégia, em meio às fortes perdas que os preços do petróleo vêm acumulando desde meados do ano passado.

A ENI também é a única grande petrolífera a ter cortado dividendos, em função do que analistas e executivos esperam ser um longo período de preços sob pressão.

Só neste ano, considerando a fatia na Galp, a Eni já vendeu 1,5 bilhão de euros em ativos. Desde 2012, a Eni levantou 3,28 bilhões de euros com a venda de sua inteira participação de um terço na Galp, por meio de uma série de transações.

Por volta das 9h35 (de Brasília), as ações da Eni caíam 1,34% na Bolsa de Milão, enquanto as da Galp recuavam 3,20% em Lisboa. 

Acompanhe tudo sobre:EmpresasEmpresas italianasEmpresas portuguesasGalpIndústriaIndústria do petróleo

Mais de Negócios

Empreendendo no mercado pet, ele saiu de R$ 50 mil para R$ 1,8 milhão. Agora, aposta em franquias

Ele quer chegar a 100 lojas e faturar R$ 350 milhões com produtos da Disney no Brasil

Shopee ultrapassa Amazon e se torna segundo e-commerce mais acessado do Brasil em maio; veja a lista

Por que a Cimed está disposta a pagar R$ 450 milhões pela Jequiti

Mais na Exame