Negócios

De fabricante de cestos a dona do Ibope, quem é a WPP

Ser a líder mundial é um objetivo constante da história do grupo, que começou como fabricante de cestos de metal e virou multinacional de comunicação


	Martin Sorrell, da WPP: Ser a líder mundial é um objetivo constante da história do grupo, que começou como fabricante de cestos de metal e virou multinacional de comunicação
 (Simon Dawson/Bloomberg/Bloomberg)

Martin Sorrell, da WPP: Ser a líder mundial é um objetivo constante da história do grupo, que começou como fabricante de cestos de metal e virou multinacional de comunicação (Simon Dawson/Bloomberg/Bloomberg)

Karin Salomão

Karin Salomão

Publicado em 19 de dezembro de 2014 às 13h17.

São Paulo - A Kantar Media, braço do grupo WPP responsável por gestão de informação, anunciou ontem, 17, que adquiriu o controle do Ibope Media. Assim, a empresa britânica se posiciona como líder em medição de audiência de televisão. 

O Ibope Media, comprado da família Montenegro, está presente em 16 países, com 3.500 funcionários. O grupo britânico já tinha participação de 44% na brasileira desde 1997, segundo comunicado.

O grupo amplia sua presença na América Latina para brigar contra sua rival o instituto alemão GfK. Em 2013, o instituto assinou uma carta de intenções com as emissoras SBT, Record, RedeTV! e Band para medir a audiência a partir de 2015. 

Nos últimos meses, o Kantar Media adquiriu as empresas Data Republic, Precise e a unidade de áudio da Civolution, com o objetivo de se tornar líder em pesquisa. Aquisições estão no cerne do crescimento do grupo WPP desde sua criação. 

De fabricante de cestos a líder global

A história da companhia começou em mercado completamente diferente. A Wire and Plastic Products foi criada no Reino Unido em 1971, para produzir objetos de cestas de metal. Em 1985, Martin Sorrell, seu atual presidente, entrou em cena,  ao comprar uma participação de 30% por US$ 676 mil. 

O objetivo de Sorrell nunca foi fabricar cestas, ainda que esse setor ainda esteja ativo no grupo até hoje. Ele estava apenas buscando uma empresa pequena, já listada na bolsa, para transformá-la em uma multinacional de serviços de marketing.

A empresa foi renomeada para WPP Group e dois anos depois Sorrell se tornou diretor executivo. Com uma série de aquisições, começou a reunir oportunidades em comunicação e marketing.

Apenas dois anos depois de ter sido adquirida por Sorrell, a WPP passou a fazer aquisições milionárias. Em 1987, comprou o J. Walter Thompson Group por US$ 566 milhões, já iniciando sua atuação no setor de dados e pesquisa de mercado.

Em 1988, o grupo foi listado na Bolsa de Nova York e, no ano seguinte, realizou uma das maiores aquisições do setor de marketing em 1989, ao comprar o gurpo Ogilvy por US$ 864 milhões.

As empresas de pesquisa Millward Brown, brasileira, e Research International também entram para o grupo, além de outro gigante, o Young & Rubicam Group.

Em rápida expansão, adquiriu dezenas de empresas nos anos seguintes. Formou aliança com a Asatsu-DK Inc, a terceira maior agência de publicidade do Japão e passa a fazer parte da lista FTSE 100 Index, da Bolsa de Londres.

Entrou no mercado chinês, coreano e taiwanês e, mais recentemente, na Rússia. Investiu em agências inovadoras para conteúdo digital, como a AKQA, e em mercados emergentes.

Já são mais de 350 empresas combinadas pelo grupo. Agora, o seu objetivo é se fortalecer na América Latina.

Acompanhe tudo sobre:Agências de publicidadeEmpresasestrategias-de-marketingFusões e AquisiçõesIbopemarketing-digitalPesquisas de mercadoWPP

Mais de Negócios

Vem aí a terceira edição do Ranking EXAME Negócios em Expansão

Nos 30 anos do Real, Mercado Pago lança cédula celebrativa

Nas franquias de educação, 83% dos alunos estão na sala de aula (e não em aulas online)

Eles começaram do zero, viraram referência em franquias e revelam segredos para sucesso nos negócios

Mais na Exame