Negócios

CEO do McDonald’s revela por que está perdendo clientes

Consumidores querem poder personalizar seus pratos e estar em um ambiente agradável


	Loja do McDonald's em Miami: consumidores querem poder personalizar seus pratos e estar em um ambiente agradável
 (Joe Raedle/Getty Images)

Loja do McDonald's em Miami: consumidores querem poder personalizar seus pratos e estar em um ambiente agradável (Joe Raedle/Getty Images)

Karin Salomão

Karin Salomão

Publicado em 14 de novembro de 2014 às 17h12.

São Paulo - O presidente do McDonald’s, Don Thompson, descreveu o que os consumidores esperam da sua rede: personalizar seus pratos e estar em um ambiente agradável.

Em uma teleconferência para a imprensa, Thompson argumentou que clientes estão preferindo os concorrentes por causa de uma mudança de comportamento.

“Consumidores querem personalizar suas refeições com ingredientes relevantes no local. Eles querem aproveitar a comida em um ambiente contemporâneo e acolhedor. E eles querem escolhas; escolhas no que comem, como pedem e como são servidos”, afirmou Thompson.

Esta descrição se encaixa no que a Chipotle, rede de comida mexicana, oferece aos seus clientes. A empresa de fast food permite plena customização de cada refeição.

Chipotle está crescendo rapidamente nos Estados Unidos, enquanto o McDonald’s perde market share para seus concorrentes. As vendas em lojas abertas há pelo menos um ano caíram 3,7% em agosto, pior resultado em dez anos.

Mas Thompson não será passado para trás. Ele afirmou que a sua empresa escuta os clientes e que irá aplicar essas mudanças. “Essas coisas perfazem a experiência futura no McDonald’s, e estamos construindo o futuro hoje”, disse.

Nessa linha, a rede de fast food está testando alternativas para que consumidores montem seu próprio hambúrguer, na Austrália. A empresa também está reformando os restaurants. 

Acompanhe tudo sobre:AlimentaçãoComércioConcorrênciaEmpresasEmpresas americanasFast foodFranquiasMcDonald'sRestaurantes

Mais de Negócios

Startup do Paraná que ajuda call center a ligar para você compra empresa e mira R$ 100 milhões

Eles voltaram: depois de Floripa e POA, patinetes desembarcam no Rio e irão chegar a São Paulo

O bilionário de 80 anos que ficou US$ 40 bilhões mais rico num ano – e US$ 2,8 bi mais rico em 24h

Como o chef João Diamante está ajudando a mudar o mundo por meio da alimentação

Mais na Exame