Cade prorroga análise de acordos entre Liquigás-Ultragaz

A prorrogação do prazo também incluiu as operações envolvendo ArcelorMittal-Votorantim Siderurgia e Bayer-Monsanto.
Liquigás: (Thinkstock/Thinkstock)
Liquigás: (Thinkstock/Thinkstock)
Por Laís Martins, da ReutersPublicado em 22/11/2017 21:42 | Última atualização em 22/11/2017 21:42Tempo de Leitura: 1 min de leitura

São Paulo - O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) decidiu nesta quarta-feira estender em 90 dias o prazo para análise da venda da Liquigás, uma subsidiária da Petrobras, para a Ultragaz.

A prorrogação do prazo também incluiu as operações envolvendo ArcelorMittal-Votorantim Siderurgia e Bayer-Monsanto.

Com o prazo adicional, os processos deverão ser julgados até março de 2018, embora o órgão possa emitir sua decisão antes da data final.

Nos três negócios, a Superintendência-Geral do Cade já emitiu parecer pela reprovação dos acordos.

O acordo envolvendo a ArcelorMittal, maior grupo siderúrgico do mundo, anunciado em fevereiro, prevê a compra de operações de aços longos do grupo Votorantim, que passará a ser acionista minoritária da ArcelorMittal Brasil.

No caso do acordo envolvendo a fabricante alemã de produtos químicos e agroquímicos Bayer, o Cade havia decidido mais cedo pela prorrogação da análise sobre a compra da produtora de sementes Monsanto.

A transação de 66 bilhões de dólares, anunciada em setembro de 2016, criará a maior companhia integrada de pesticidas e sementes do mundo.