Negócios

Cade aprova compra da Somos pela Kroton

A transação, anunciada em abril, foi sancionada pela superintendência geral do Cade em 3 de setembro

Educação: A Kroton vai pagar 4,5 bilhões de reais à gestora de investimentos brasileira Tarpon por sua participação de 74% na Somos (Think stock/Thinkstock)

Educação: A Kroton vai pagar 4,5 bilhões de reais à gestora de investimentos brasileira Tarpon por sua participação de 74% na Somos (Think stock/Thinkstock)

DR

Da Redação

Publicado em 19 de setembro de 2018 às 17h34.

Última atualização em 19 de setembro de 2018 às 17h35.

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), órgão brasileiro de proteção à concorrência, aprovou sem restrições a compra do grupo de educação básica Somos Educação pela universidade Kroton. A transação, anunciada em abril, foi sancionada pela superintendência geral do Cade em 3 de setembro. Hoje expirou o prazo para apresentação de contestações e recursos, e assim a validação torna-se definitiva.

A Kroton vai pagar 4,5 bilhões de reais à gestora de investimentos brasileira Tarpon por sua participação de 74% na Somos e mais 1,8 bilhão de reais ao GIC – o fundo soberano de Singapura – e aos demais acionistas minoritários em uma oferta pública de ações (OPA) para fechar o capital da empresa de educação básica. Até que a aprovação do Cade saísse, as duas companhias não podiam unir suas operações. A expectativa do mercado, agora, é de que a Kroton dê início à integração de atividades em outubro.

A Somos é dona de escolas, cursinhos pré-vestibular e sistemas de ensino como Anglo, Sigma e Red Balloon, além das editoras de livros didáticos Ática, Scipione e Saraiva.

Acompanhe tudo sobre:CadeCogna Educação (ex-Kroton)Educação no BrasilSomos Educação

Mais de Negócios

Com queda no turismo, principal rede de hotéis de Gramado já tem um pedido de Natal: hóspedes

Meses após levantar R$ 600 milhões, Solfácil anuncia nova captação no valor de R$ 750 milhões

TotalEnergies investe em pesquisa, desenvolvimento e inovação para acelerar a transição energética

Essa empresa criou uma "amiga artificial" para você conversar no WhatsApp e praticar inglês

Mais na Exame