BDO não será administrador judicial da Oi

Em nota, companhia afirma que declina da nomeação para o cargo e será apenas auditora externa da companhia de telecom

São Paulo – A BDO declinou da nomeação como administrador judicial financeiro da recuperação judicial da Oi, informou a companhia em nota.

A empresa de auditoria afirma que informou a decisão ao juiz Fernando Cesar Ferreira Viana, da 7ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e protocolada no início da tarde de hoje, dia 7.

A companhia, no entanto, seguirá como auditora independente da operadora no período entre 2017 e 2019, conforme comunicado já ao mercado e à CVM.

Ontem, dia 6, a Anatel decidiu aplicar uma multa de 11,5 mil  de reais à operadora de telefonia pela venda de bens reversíveis sem a prévia aprovação da agência. O valor total da venda dos bens soma 3,5 milhões de reais e mais 127,4 milhões de reais foram dados como garantia em processos judiciais.

Suporte a Exame, por favor desabilite seu Adblock.