Negócios

B2W investe em outros países para compensar concorrência local

Depois do tombo de 75% no lucro no terceiro trimestre do ano, companhia quer ampliar atuação do Ingresso.com e da B2W Viagens

EXAME.com (EXAME.com)

EXAME.com (EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 5 de novembro de 2010 às 15h02.

São Paulo - Depois da entrada de redes varejistas como Walmart, Carrefour e Ponto Frio no comércio eletrônico, a B2W viu sua liderança ser abalada. O resultado da acirrada disputa do setor vem balançando a empresa nos últimos meses. Para recuperar o tombo de 75% no lucro registrado no terceiro trimestre, a B2W quer expandir seus negócios para além das fronteiras brasileiras por meio das subsidiárias Ingresso.com e B2W Viagens.

O Ingresso.com, aliás, foi um dos destaques da companhia no trimestre. Em setembro, o site iniciou as operações em 96 salas de cinema no Chile. Além disso, já está presente em 276 salas no México e 74 na Argentina, por meio de uma parceria com a rede Cinemark.

“A companhia continua a prospecção de novos países para replicar o modelo de negócio”, afirmou Murilo Corrêa, diretor financeiro da empresa, em teleconferência de divulgação de resultados. “No Brasil, a Ingresso.com opera em aproximadamente 1.200 salas de cinema, mantendo um forte ritmo de crescimento, impulsionada pela venda de ingressos para grandes sucessos do cinema, para salas com assentos marcados, e pela crescente exibição de filmes em 3D.”

A B2W continua apresentando altas taxas de crescimento, em linha com o plano de negócios da companhia. “Continuamos investindo em inovação, variedade de destinos e qualidade do serviço”, disse Corrêa. A B2W Viagens tem três marcas: Submarino Viagens, Americanas Viagens e Shoptime Viagens, que oferecem pacotes a 150 destinos, além de 160 opções de cruzeiros.

Balanço

De acordo com a analista Juliana Campos, da corretora Ativa, a companhia continuou entregando fraco crescimento de receitas e redução de margem bruta, resultado do atual cenário competitivo. “No entanto, a varejista continua mostrando boa contenção de despesas, o que está sendo fundamental para a manutenção do patamar de rentabilidade em termos de Ebitda. As despesas financeiras e as outras despesas operacionais continuam sacrificando o lucro líquido da companhia, que foi de apenas 2,5 milhões de reais, apesar de Ebitda de 126,5 milhões de reais”, afirmou em relatório.

A margem bruta, quando calculada em relação à receita bruta, apresentou redução de 0,9 pontos percentuais na mesma base de comparação, o que foi compensado na linha de despesas operacionais, as quais avançaram apenas 2,8% sobre o terceiro trimestre de 2009, levando a uma margem Ebitda praticamente estável em 8,6% e em linha com o esperado.

Segundo a empresa, o resultado se deveu especialmente aos ajustes a valor presente (AVP) de mercadorias que, no ano, passado, tiveram impacto positivo sobre os números. No acumulado do ano o lucro líquido da B2W foi de 11,8 milhões de reais, queda anual de 65%

Acompanhe tudo sobre:B2WComércioe-commerceEmpresasEmpresas brasileirasEmpresas de internetVarejo

Mais de Negócios

Problemas complexos estão travando a sua empresa? Veja 5 dicas para gerenciá-los

Ele vendia trufas e hoje fatura R$ 80 milhões com a maior rede de pilates da América Latina

Ronaldo pode vender clube espanhol por um quarto do valor embolsado com o Cruzeiro

Mora no exterior e quer doar recurso ao RS? Agora é possível através destas instituições financeiras

Mais na Exame