Negócios

Entrega robô? Amazon perto de comprar startup de carros autônomos, diz WSJ

A gigante americana está em conversas avançadas para comprar a statup de veículos autônomos Zoox, segundo o jornal The Wall Street Journal

Amazon: custos de entrega e logística subiram na pandemia (NurPhoto / Colaborador/Getty Images)

Amazon: custos de entrega e logística subiram na pandemia (NurPhoto / Colaborador/Getty Images)

CR

Carolina Riveira

Publicado em 27 de maio de 2020 às 08h40.

Última atualização em 27 de maio de 2020 às 09h05.

A varejista americana Amazon pode avançar no futuro próximo sua frente de carros autônomos. A empresa está em conversas adiantadas para adquirir a startup de veículos autônomos Zoox, segundo informou o jornal The Wall Street Journal.

Segundo o jornal americano, um possível negócio da Amazon com a Zoox avaliaria a empresa em um valor abaixo dos 3,2 bilhões de dólares atuais, valor de mercado que obteve em 2018.

Após essa última rodada de investimentos, o conselho da Zoox votou pela saída do fundador, Tim Kentley-Klay. O executivo foi substituído na presidência por Aicha Evans, que trabalhou por dez anos na Intel.

Empresas das mais diversas passaram a investir em carros autônomos nos últimos cinco anos. A montadora General Motors gastou 1 bilhão de dólares para comprar a Cruise Automation. A Uber investiu 680 bilhões de dólares em Anthony Levandowski, um ex-funcionário da Alphabet, dona do Google, que depois viria a ser processado por roubar segredos da antiga empresa. A Alphabet, por sua vez, tem a frente de veículos autonomos Waymo, onde Levandowski trabalhava. A Tesla, de carros elétricos, também investe em veículos autônomos.

Mas, em tempos de crise e capital de risco menos abundante, os veículos autônomos podem se mostrar uma aposta cara e pouco certeira.

A visão na Zoox é que a empresa era baseada em três investimentos do futuro que exigiam muito capital e pouco retorno de curto prazo: carros autonomos, elétricos e a aposta em um modelo de viagem compartilhada nos moldes da Uber.

Na onda dos carros autônomos que dominou as gigantes de tecnologia sobretudo a partir de 2016, a própria Amazon havia criado uma equipe própria para desenvolver veículos sem motorista. O objetivo, para a varejista, era conseguir "carros robôs" que transportassem suas mercadorias de forma mais barata.

A Amazon também fez parte no ano passado de uma rodada de investimentos de 530 milhões de dólares na Aurora Innovation, outra startup de automação. A empresa investiu ainda na Rivian Automotive, uma fabricante de carros elétricos.

Aicha Evans, presidente da Zoox: negócio com a Amazon pode avaliar empresa abaixo dos atuais 3,2 bilhões de dólares, diz WSJ (Steve Jennings)

Os desafios da Amazon na pandemia

Uma compra da Zoox pode mostrar o desejo da gigante americana em intensificar essa frente. A empresa de Jeff Bezos vem tendo custos crescentes com entregas e logística, sobretudo em meio à alta demanda durante a pandemia do novo coronavírus.

Apesar dos desafios logísticos, a Amazon é uma das poucas empresas vistas como beneficiadas pela pandemia. As vendas subiram 26% no primeiro trimetre, entre janeiro e março, para 75,5 bilhões de dólares. Mas o lucro caiu 31%, para 2,5 bilhões de dólares, em meio aos maiores custos de operação e as necessidades de investimento para dar conta da demanda por produtos online.

Para o segundo trimestre, a empresa previu queda no lucro operacional e mesmo prejuízo nesta frente, que pode chegar a 1,5 bilhão de dólares (ante 3,1 bilhões de dólares no segundo trimestre de 2019). A projeção envolve custos de 4 bilhões de dólares relativos ao coronavírus.

"De compras online ao Amazon Web Services [serviço de nuvem] à Fire TV, a crise atual está demonstrando a adaptabilidade e durabilidade do negócio da Amazon como nunca antes, mas é também a época mais difícil que já enfrentamos", disse Bezos em comunicado dos resultados do primeiro trimestre.

Apesar dos desafios, a ação da empresa acumula alta de 31% em 2020. O índice S&P 500, que reúne as maiores empresas dos Estados Unidos, caiu 7,4% no ano. Só Jeff Bezos, que é o homem mais rico do mundo e acionista controlador da empresa, já adicionou mais de 31 bilhões de dólares ao patrimônio neste ano, chegando a 146 bilhões de dólares -- ante 109 bilhões de Bill Gates, o segundo colocado.

Acompanhe tudo sobre:AmazonCarros autônomosjeff-bezosStartupsVarejo

Mais de Negócios

11 franquias baratas para trabalhar sem funcionários a partir de R$ 2.850

Inteligência Artificial no Brasil: inovação, potencial e aplicações reais das novas tecnologias

Mundo sem cookies: as big techs estão se adequando a uma publicidade online com mais privacidade

Ligadona em você: veja o que aconteceu com a Arapuã, tradicional loja dos anos 1990

Mais na Exame