Negócios

Acionistas da Samsung C&T aprovam fusão com Cheil Industries

A fusão, porém, aprovada com 69,5% do voto dos acionistas, não deve encerrar a pressão sobre Lee, aparente herdeiro


	Logo da Samsung: com a fusão, Lee, que tem uma fatia de 23% na Cheil Industries, terá agora maior controle sobre a fatia de 4,1% da Samsung C&T na Samsung Electronics
 (Woohae Cho/Bloomberg)

Logo da Samsung: com a fusão, Lee, que tem uma fatia de 23% na Cheil Industries, terá agora maior controle sobre a fatia de 4,1% da Samsung C&T na Samsung Electronics (Woohae Cho/Bloomberg)

DR

Da Redação

Publicado em 17 de julho de 2015 às 18h37.

Seul - A família Lee, controladora do conglomerado Samsung, conseguiu uma importante vitória nesta sexta-feira sobre o fundo de hedge norte-americano Elliott Associates, com acionistas aprovando uma fusão de US$ 8 bilhões com duas afiliadas da Samsung designadas para solidificar a força do herdeiro aparente Lee Jae-yong sobre a principal companhia do conglomerado, a Samsung Electronics.

A fusão, porém, aprovada com 69,5% do voto dos acionistas, não deve encerrar a pressão sobre Lee, que agora enfrenta crescente expectativa de acionistas minoritários descontentes, bem como uma possível batalha legal com o fundo de hedge.

Com a fusão, Lee, que tem uma fatia de 23% na Cheil Industries, terá agora maior controle sobre a fatia de 4,1% da Samsung C&T na Samsung Electronics. A expectativa é que Lee herde o comando da Samsung de seu pai doente, o presidente da Samsung, Lee Kun-hee.

Analistas e investidores acreditam que Lee buscará combinar a Samsung SDS com a Samsung Electronics, o que deve elevar mais a fatia de Lee na Samsung Electronics. As ações da Samsung SDS avançaram 9,4% nesta quinta-feira, mas recuaram nesta sexta-feira após a votação dos acionistas. 

Acompanhe tudo sobre:EmpresasEmpresas coreanasempresas-de-tecnologiaFusões e AquisiçõesIndústria eletroeletrônicaSamsung

Mais de Negócios

Pré-MBA: com certificado, treinamento gratuito sobre finanças começa nesta 2ª; participe

Criar valor nunca foi tão decisivo para o futuro sustentável de empresas de serviços financeiros

Bilionário sem rosto: quem é o fundador da Shein, desconhecido até pelos funcionários

Após falhar em 15 projetos, eles criaram uma startup de logística que está recebendo R$ 12 milhões

Mais na Exame