Negócios

AB InBev tem alta a US$ 1,94 bi no lucro líquido, mas receita recua

A empresa informou que sua receita nos EUA recuou 3,1% no 2º trimestre. Resultado foi motivado por queda de 5,1% nas vendas a atacadistas

Chefe executivo da companhia bebe Stella: Budweiser, Corona e Stella Artois tiveram crescimento combinado na receita de 10,1% , em parte apoiadas pelo consumo durante Copa do Mundo (Francois Lenoir/Reuters)

Chefe executivo da companhia bebe Stella: Budweiser, Corona e Stella Artois tiveram crescimento combinado na receita de 10,1% , em parte apoiadas pelo consumo durante Copa do Mundo (Francois Lenoir/Reuters)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 26 de julho de 2018 às 09h04.

Última atualização em 26 de julho de 2018 às 09h12.

Londres - A Anheuser-Busch InBev SA informou nesta quinta-feira que seu lucro líquido foi de US$ 1,94 bilhão no segundo trimestre deste ano, um avanço de 29% na comparação com igual período do ano passado, quando ele havia ficado em US$ 1,50 bilhão. Marcas globais da empresa, como a Budweiser, a Corona e a Stella Artois, registraram aceleração no crescimento de suas receitas.

A receita total da companhia, por outro lado, caiu 1,2% na mesma comparação anual, para US$ 14,01 bilhões. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda), a medida preferida de lucro da empresa, que exclui itens excepcionais, teve avanço de 4%, a US$ 5,57 bilhões.

A AB InBev informou que sua receita nos EUA recuou 3,1% no segundo trimestre, também na comparação anual. Esse resultado foi motivado por uma queda de 5,1% nas vendas a atacadistas, no momento em que ela tenta melhorar sua logística.

A companhia disse que suas marcas globais de cerveja Budweiser, Corona e Stella Artois tiveram crescimento combinado na receita de 10,1% globalmente, em parte apoiadas pelo consumo vinculado à Copa do Mundo de futebol.

A AB InBev, que adquiriu em 2016 a SABMiller, em um dos maiores negócios corporativos da história, disse que as sinergias combinadas e cortes de custos provenientes desse acordo se traduziram em um resultado de US$ 199 milhões no segundo trimestre.

Acompanhe tudo sobre:ab-inbevBalançosBudweiserCervejasCopa do MundoCoronaLucro

Mais de Negócios

A malharia gaúcha que está produzindo 1.000 cobertores por semana — todos para doar

Com novas taxas nos EUA e na mira da União Europeia, montadoras chinesas apostam no Brasil

De funcionária fabril, ela construiu um império de US$ 7,1 bilhões com telas de celular para a Apple

Os motivos que levaram a Polishop a pedir recuperação judicial com dívidas de R$ 352 milhões

Mais na Exame