Negócios

Telefónica tem alta a 902 mi de euros no lucro e supera previsão

O lucro operacional antes de depreciação e amortização ficou em 4,24 bilhões de euros, acima dos 4,16 bilhões de euros de igual período de 2017

Sede da Telefónica em Madri: executivo-chefe da empresa, José María Álvarez-Pallete, afirmou que os resultados reiteram a projeção e os dividendos da companhia para 2018 (Juan Medina/Reuters)

Sede da Telefónica em Madri: executivo-chefe da empresa, José María Álvarez-Pallete, afirmou que os resultados reiteram a projeção e os dividendos da companhia para 2018 (Juan Medina/Reuters)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 26 de julho de 2018 às 09h21.

Última atualização em 26 de julho de 2018 às 09h22.

Madri - A Telefónica informou nesta quinta-feira que seu lucro líquido subiu a 902 milhões de euros no segundo trimestre, de 821 milhões de euros em igual período do ano passado. A receita, por outro lado, recuou 6,3% na mesma comparação, para 12,14 bilhões de euros (de 12,96 bilhões de euros anteriormente). Analistas previam lucro de 892 milhões de euros e receita de 12,05 bilhões de euros, de acordo com levantamento compilado pela própria empresa espanhola.

O lucro operacional antes de depreciação e amortização ficou em 4,24 bilhões de euros, acima dos 4,16 bilhões de euros de igual período de 2017, informou a operadora de telecomunicações.

A Telefónica informou que sua receita líquida teve um corte de 60 milhões de euros graças a um impairment no México. Por outro lado, o lucro operacional antes de depreciação e amortização teve um impulso de 225 milhões de euros fruto de uma decisão judicial favorável no Brasil.

Executivo-chefe da empresa, José María Álvarez-Pallete afirmou que os resultados reiteram a projeção e os dividendos da companhia para 2018.

Acompanhe tudo sobre:BalançosLucroTelefoniaTelefônica

Mais de Negócios

Aquisições a caminho: Celcoin capta R$ 650 milhões para buscar oportunidades de M&As

Cimed avança na compra da Jequiti — e quer 100% da empresa de cosméticos

Essa empresa vende em até 10 vezes sem juros artigos de luxos – que podem render mais do que ações

Grupo de certificados digitais de MG compra empresa, faz fusão e passa a valer R$ 300 milhões

Mais na Exame