Mundo

Veneza quer cobrar turistas para entrar na cidade; entenda

Autoridades da cidade iniciaram teste de sistema de cobrança para os visitantes

Veneza: cidade histórica é uma das mais visitadas do país e da Europa (Danny Lehman/Getty Images)

Veneza: cidade histórica é uma das mais visitadas do país e da Europa (Danny Lehman/Getty Images)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 5 de setembro de 2023 às 17h57.

Autoridades de Veneza anunciaram nesta terça-feira, 5, que irão testar um sistema no qual os turistas terão que pagar 5 (R$ 27) para entrar na cidade histórica italiana. O objetivo do projeto é reduzir o grande fluxo de visitantes.

O Conselho Executivo da Câmara Municipal apoiou a iniciativa depois que a Unesco recomendou, em 31 de julho, adicionar Veneza à lista do patrimônio mundial ameaçado, em parte devido ao impacto do turismo de massa. A recomendação será discutida neste mês, durante a reunião do Comitê do Patrimônio Mundial da Unesco.

Fique por dentro das últimas notícias no Telegram da Exame. Inscreva-se gratuitamente

"É necessário regular o fluxo de turistas em alguns períodos, mas isso não significa fechar a cidade", ressaltou o prefeito, Luigi Brugnaro. "Veneza estará sempre aberta a todos."

Negociações

Longamente debatido, o projeto ainda precisa ser aprovado pela Câmara Municipal em seu conjunto. Muitos detalhes ainda estão indefinidos, como o número de ingressos que poderão ser reservados.

O Conselho concordou em testar o sistema por 30 dias, provavelmente durante os feriados e fins de semana da primavera e do verão de 2024. Ficarão isentos moradores, trabalhadores não residentes, estudantes e menores de 14 anos, bem como os turistas que pernoitarem na cidade.

"O objetivo é desencorajar o turismo diário em determinados períodos, dada a fragilidade e singularidade da cidade", explicaram autoridades locais. Os demais moradores da região do Vêneto provavelmente não terão que pagar, mas precisarão reservar a visita, assinalaram."

"Veneza será pioneira em nível global", declarou a vereadora Simone Venturini, ligada à área do turismo. Segundo ela, o projeto não visa ao lucro - uma vez que a taxa cobrirá apenas os custos do sistema-, e sim a encontrar "um novo equilíbrio entre os direitos de quem vive, estuda ou trabalha em Veneza, e os de quem visita a cidade".

Acompanhe tudo sobre:VenezaTurismoItália

Mais de Mundo

"Estamos preparados para governar a França", diz candidato da extrema-direita e líder nas pesquisas

Com morte de Ebrahim Raisi, eleições no Irã acontecem nesta semana: por que elas são importantes?

Taxas de fecundidade em queda põem em xeque políticas por mais filhos no Japão

Mais na Exame