Unicef: países ricos têm 30 milhões de crianças pobres

Segundo relatório do fundo, somente na Europa há 13 milhões de crianças em situação de pobreza
Crianças da Romênia durante visita da Unicef em Sofia: as democracias escandinavas têm somente 3% de crianças pobres (Nikolay Doychinov/AFP/AFP)
Crianças da Romênia durante visita da Unicef em Sofia: as democracias escandinavas têm somente 3% de crianças pobres (Nikolay Doychinov/AFP/AFP)
Por Renata GiraldiPublicado em 29/05/2012 12:30 | Última atualização em 29/05/2012 12:30Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Brasília – Os 35 países mais ricos do mundo concentram 30 milhões de crianças pobres – 15% da população infantil assistida pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Segundo relatório divulgado hoje, somente na Europa há 13 milhões de crianças pobres.

Para os especialistas, o relatório do Unicef é um alerta aos líderes dos países ricos. O estudo foi feito nos 27 países da União Europeia, além da Noruega, da Islândia, da Austrália, do Canadá, dos Estados Unidos, do Japão, da Nova Zelândia e da Suíça. As democracias escandinavas têm somente 3% de crianças pobres.

O Unicef definiu alguns critérios de comparação para estabelecer pobreza, entre eles, o acesso a três refeições por dia, com frutas e legumes frescos, livros, conexão à internet e um local calmo para fazer as atividades escolares.

De acordo com o relatório, um dos casos que chamam a atenção é o da França. Para o Unicef, o país desperdiça dinheiro público. A França é o país que mais gasta verba pública em políticas familiares: 3,7% de seu Produto Interno Bruto (PIB) são investidos no setor, ficando atrás apenas da Itália.

Apesar dos investimentos, a França ocupa o 14° lugar no ranking de crianças pobres. O relatório informa que há cerca de 1,3 milhão de crianças francesas consideradas pobres, o equivalente a 8,8% da população infantil. Do total, a metade mora em locais insalubres e 20 mil crianças não têm domicílio fixo. Com informações da emissora pública de rádio da França, RFI.