Trichet acredita que dólar sólido é bom para economia mundial

Presidente do Banco Central Europeu também defendeu a independência do órgão e do FMI

Paris – O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, afirmou nesta sexta-feira que “um dólar sólido e crível” é bom para a economia internacional, ao mesmo tempo em que recomendou uma maior flexibilidade nas taxas de câmbio.

“Um dólar sólido e crível seria positivo para os Estados Unidos e para a comunidade internacional”, assegurou Trichet em Paris, onde participou de uma conversa sobre bancos centrais.

O presidente do BCE apostou pela “independência” dos bancos centrais e também do Fundo Monetário Internacional (FMI), como organismo que deve vigiar a situação financeira mundial.

“Há instituições que não devem estar abaixo de nenhuma autoridade política, como os bancos centrais e as entidades de controle. Durante a crise asiática já vimos o perigo de que estas entidades estejam sob o comando das autoridades políticas”, indicou.

Trichet disse que “uma evolução rumo a taxas de câmbio mais flexíveis e uma apreciação ordenada das divisas” seriam positivas para a economia internacional, “incluindo a dos países emergentes”.

Mas advertiu para o risco de uma excessiva volatilidade das taxas de câmbio, que pode ser perigosa para a estabilidade econômica e financeira do mundo.

O presidente do BCE não se referiu a suas declarações da véspera, nas quais deixou portas abertas para uma próxima alta dos juros na zona do euro.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.