Presidência síria diz que Mandela é lição contra tiranos

O presidente sírio, Bashar al-Assad, há dois anos e meio enfrenta uma sangrenta rebelião contra seu governo

Beirute - O presidente sírio, Bashar al-Assad, que há dois anos e meio enfrenta uma sangrenta rebelião contra seu governo, lamentou nesta sexta-feira a morte de Nelson Mandela, dizendo que a vida do líder sul-africano foi uma inspiração para os que lutam pela liberdade e uma lição contra os tiranos.

Mandela, laureado com o Prêmio Nobel da Paz, morreu na noite de quinta-feira em sua casa em Johanesburgo, o que motivou homenagens e declarações de líderes mundiais de todos os espectros políticos.

A presidência síria se uniu ao coro com um comunicado em sua página no Facebook, na qual afirmou que o líder sul-africano era uma "inspiração em valores como amor e fraternidade humana".

"Sua história de luta se tornou uma inspiração para todas as pessoas vulneráveis do mundo, na expectativa de que os opressores e agressores aprendam a lição de que no fim são eles os perdedores", diz o texto.

O conflito sírio começou em março de 2011, como um pacífico movimento de protesto pedindo reformas democráticas, mas, depois da repressão governamental, se transformou em uma guerra civil.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.