Acompanhe:

Para FMI, aprofundamento da fragmentação global poderia deflagrar nova guerra fria

Em discurso durante o Congresso da Associação Econômica Internacional, na Colômbia, Gopinath advertiu que os custos dessa realidade seriam enormes

Modo escuro

Continua após a publicidade
Já uma divisão entre EUA e China, com alguns países não alinhados, custaria 2% do PIB (Gunes/Anadolu Agency/Getty Images)

Já uma divisão entre EUA e China, com alguns países não alinhados, custaria 2% do PIB (Gunes/Anadolu Agency/Getty Images)

A primeira vice-diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Gita Gopinath, avalia que o mundo não enfrenta um recuo generalizado da globalização, mas alerta que o eventual aprofundamento da fragmentação do comércio global em blocos opostos poderia deflagrar uma nova guerra fria.

Em discurso durante o Congresso da Associação Econômica Internacional, na Colômbia, Gopinath advertiu que os custos dessa realidade seriam enormes, potencialmente maiores que os verificados durante o fenômeno geopolítico que contrapôs Estados Unidos e União Soviética no século 20.

"O mundo tornou-se muito mais integrado e enfrentamos uma amplitude sem precedentes de desafios comuns com os quais um mundo fragmentado não consegue lidar", argumentou Gita Gopinath.

Efeitos globais

Para evitar, ou ao menos minimizar, os efeitos desse cenário, ela explicou que a comunidade internacional deve manter uma postura pragmática, que preserve os benefícios do livre-comércio ao mesmo tempo que alcança objetivos domésticos de segurança e resiliência.

A economista indo-americana recomenda que os diferentes atores mantenham as linhas de comunicação aberta, como têm feito EUA, China e União Europeia. Na visão dela, as economias emergentes podem recorrer à capacidade diplomática e econômica para garantir a integração global. "Afinal, muitos países emergentes e em desenvolvimento enfrentam as maiores perdas de um mundo fragmentado e, embora alguns se beneficiem nos estágios iniciais da fragmentação, todos perdem numa guerra fria integral", destaca.

Resolução da ONU para a guerra na Ucrânia

Gita Gopinath cita estimativas de que uma fragmentação em dois blocos baseados na votação sobre a resolução da ONU para a guerra na Ucrânia em 2022 poderia causar uma perda de até 2,5% do produto interno bruto (PIB).

Já uma divisão entre EUA e China, com alguns países não alinhados, custaria 2% do PIB.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
EUA e Reino Unido atacam 18 alvos huthis no Iêmen
Mundo

EUA e Reino Unido atacam 18 alvos huthis no Iêmen

Há 9 horas

Entre brigas, insultos e promessas, Macron visita Salão da Agricultura em Paris
Mundo

Entre brigas, insultos e promessas, Macron visita Salão da Agricultura em Paris

Há 9 horas

Israel examina propostas que dão 'margem para avançar' para uma trégua em Gaza
Mundo

Israel examina propostas que dão 'margem para avançar' para uma trégua em Gaza

Há 10 horas

Mãe de Navalny recebeu o corpo de russo morto na prisão
Mundo

Mãe de Navalny recebeu o corpo de russo morto na prisão

Há 15 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais