Palestina proíbe manifestações de “assuntos regionais”

Proibição feita pela ANP ocorreu depois que manifestações de apoio aos protestos no Egito acabaram em confronto com a polícia

Ramala, Cisjordânia – A Autoridade Nacional Palestina (ANP) proibiu nesta quinta-feira, qualquer manifestação ou protesto relacionado com “assuntos regionais”, em alusão às demonstrações de solidariedade ao povo egípcio.

O porta-voz das Forças de segurança palestinas na Cisjordânia, Adnan Dumeri, anunciou nesta quinta-feira a imprensa que “todas as reuniões e convocações em apoio às questões regionais estão proibidas”, e argumentou a decisão aduzindo que a “ANP não intervém em assuntos regionais”.

A decisão da ANP foi tomada depois que agentes palestinos reprimissem na quarta-feira vários manifestantes que participavam de um protesto em apoio do povo egípcio, que exige há mais de uma semana a renúncia de Mubarak do poder.

A ONG “Human Rights Watch” (HRW) pediu nesta quinta-feira à ANP que acabe com “a violência policial contra manifestantes pacíficos em favor dos protestos egípcios”.

Segundo um comunicado divulgado pelo organismo de defesa dos direitos humanos, a Polícia palestina foi responsável pela violência contra uma manifestação de uma centena de pessoas em Ramala para mostrar solidariedade com o povo egípcio.

A ONG denuncia que “os agentes detiveram vários participantes, dois jornalistas e um funcionário da organização da convocação”.

O comunicado acrescenta que se documentaram ataques contra outras manifestações pró-democracia ao longo desta semana e lembra que a União Europeia (UE) e os Estados Unidos financiam o treinamento e o equipamento das Forças de segurança palestinas, com 230 milhões de euros e 250 milhões de euros respectivamente doados no ano passado.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.