Mundo

O que esperar de Putin na China — e por que os países estão tão próximos agora

China e Rússia declararam uma parceria "sem limites" em 2022, pouco antes da guerra da Ucrânia

Xi é o principal aliado de Putin e os dois fazem uma aliança questionando valores do Ocidente (AFP)

Xi é o principal aliado de Putin e os dois fazem uma aliança questionando valores do Ocidente (AFP)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 16 de maio de 2024 às 06h49.

Última atualização em 16 de maio de 2024 às 09h32.

O presidente chinês, Xi Jinping, prometeu trabalhar com seu colega Vladimir Putin para "rejuvenescer" seus países, dizendo que a China "sempre será um bom parceiro" da Rússia. A fala foi dada durante encontro entre os dois em Pequim.

Segundo a Reuters, Putin chegou mais cedo nesta quinta-feira para uma visita de Estado de dois dias que incluirá conversas sobre a Ucrânia, Ásia, energia e comércio. Xi é o mais poderoso apoiador político do russo e rival geopolítico dos Estados Unidos.

"A relação China-Rússia hoje é conquistada com muito esforço, e os dois lados precisam valorizá-la e cultivá-la", disse Xi a Putin quando eles se encontraram no Grande Salão do Povo em Pequim para a sessão de abertura.

"A China está disposta a (...) alcançar conjuntamente o desenvolvimento e o rejuvenescimento de nossos respectivos países e trabalhar em conjunto para defender a equidade e a justiça no mundo."

China e Rússia declararam uma parceria "sem limites" em fevereiro de 2022, quando Putin visitou Pequim poucos dias antes de enviar dezenas de milhares de tropas para a Ucrânia, desencadeando a pior guerra na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

É a primeira viagem ao exterior de Putin desde que ele foi eleito para mais um mandato presidencial que o manterá no poder até pelo menos 2030, superando em longevidade o ditador soviético Josef Stálin.

"Foi o nível sem precedentes da parceria estratégica entre nossos países que determinou minha escolha da China como o primeiro estado que eu visitaria após assumir a presidência", disse Putin. "É de importância crucial que as relações entre a Rússia e a China não sejam oportunistas e não sejam dirigidas contra ninguém", completou o presidente russo.

Aliança histórica

Ainda de acordo com a Reuters, Putin e Xi participarão de uma comemoração de gala dos 75 anos desde que a União Soviética reconheceu a República Popular da China, declarada por Mao Tsé-Tung em 1949.

Putin e Xi compartilham uma visão de mundo que classifica o Ocidente como decadente, assim como a China desafia a supremacia dos EUA - desde a computação quântica até a espionagem e o poder militar.

A China fortaleceu os laços comerciais e militares com a Rússia nos últimos anos, uma vez que os Estados Unidos e seus aliados impuseram sanções a ambos os países, principalmente a Moscou por causa da guerra da Ucrânia.

Acompanhe tudo sobre:Xi JinpingVladimir PutinChinaRússia

Mais de Mundo

Ucrânia afirma que impediu avanço em alguns pontos da região de Kharkiv

Primeiro-ministro da Eslováquia baleado: o que se sabe até agora sobre o atentado

Chefe da inteligência americana alerta para o aumento das ameaças às eleições de 2024

Vladimir Putin chega à China para visita de dois dias

Mais na Exame