Kerry estarrecido com venda de yazidis por militantes do EI

O secretário de Estado dos EUA chamou de repugnantes as práticas do Estado Islâmico, após divulgação de que jihadistas vendem yazidis como escravos

Washington - O secretário de Estado americano, John Kerry, chamou de repugnantes as práticas do grupo Estado Islâmico (EI), após a divulgação da notícia de que os jihadistas admitem que vendem mulheres e crianças da minoria yazidi como escravos.

Os militantes do EI "agora reclamam o crédito pelo sequestro, escravidão, estupro, casamento forçado e venda de milhares de mulheres e crianças, algumas de apenas 12 anos", afirma Kerry em um comunicado.

Na edição mais recente de sua revista de propaganda, Dabiq, o grupo jihadista admite pela primeira vez de forma aberta que está entregando como escravos integrantes da comunidade yazidi, que pratica uma religião sincretista.

Dezenas de milhares de yazidis, uma minoria que vive principalmente na região norte do Iraque, se viram obrigados a abandonar suas casas após quatro meses de ofensiva jihadista na região.

Líderes yazidis e grupos de defesa dos direitos humanos denunciam que a minoria é vítima de genocídio, uma das razões citadas por Washington para justificar a decisão de iniciar, há três meses, uma ofensiva aérea contra o EI.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.