Hamas aceita proposta do Egito para retomar reconciliação com Palestina

Iniciativa foi apresentada tanto ao Hamas como ao presidente palestino, Mahmoud Abbas, que ainda não se pronunciou, e propõe a retomada das conversas
Hamas: reconciliação tem como objetivo que o grupo transfira o controle total do enclave à Palestina (Ibraheem Abu Mustafa/Reuters/Reuters)
Hamas: reconciliação tem como objetivo que o grupo transfira o controle total do enclave à Palestina (Ibraheem Abu Mustafa/Reuters/Reuters)
Por EFEPublicado em 19/07/2018 17:23 | Última atualização em 19/07/2018 17:23Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Gaza - O chefe político do movimento islamita palestino Hamas, Ismail Haniyeh, aceitou nesta quinta-feira a proposta para retomar o processo de reconciliação com a Autoridade Nacional Palestina (ANP) que os serviços de inteligência egípcia lhe apresentaram na semana passada no Cairo, anunciou seu escritório.

A iniciativa egípcia foi apresentada tanto ao Hamas como ao presidente palestino, Mahmoud Abbas, que ainda não se pronunciou, e propõe a retomada das conversas de reconciliação entre a organização islamita e o partido nacionalista Al Fatah, do qual é líder.

Além disso, propõe a formação de um governo de unidade palestina, depois que o Hamas ceda todo o poder do enclave à ANP, uma transferência que tinha ficado estancada com a implementação do acordo de reconciliação que assinaram em outubro do ano passado.

Uma delegação do Hamas esteve na semana passada no Egito para abordar "a situação interna palestina, os modos de suspender o bloqueio imposto a Gaza e os mecanismos de reconciliação" entre a ANP, com sede em Ramala, e o grupo islamita, que controla a Faixa desde 2007 após expulsar as forças leais a Abbas.

A reconciliação tem como objetivo que o Hamas transfira o controle total do enclave à ANP e, embora tenha entregado a maioria dos ministérios, o movimento islamita mantém o de Segurança e voltou a controlar os postos fronteiriços com Israel e Egito, que tinham sido cedidos.