Governo livra Zuma de acusações sobre uso de fundos públicos

Relatório do governo sul-africano livrou o presidente do país, Jacob Zuma, das acusações de ter utilizado fundos públicos para remodelar sua residência privada

Johanesburgo - Um relatório do governo sul-africano livrou o presidente do país, Jacob Zuma, das acusações de ter utilizado fundos públicos para remodelar sua residência privada em Nkandla, na província de Kwazulu-Natal, informou nesta sexta-feira o jornal "The Citizen".

"As acusações de que o presidente usou fundos do Estado para construir e remodelar proriedades pessoais são infundadas", disse ontem o ministro de Obras Públicas, Thulas Nxesi, durante a apresentação do documento.

Nxesi afirmou também que não foi Zuma quem pediu as reformas, que teriam sido recomendações da polícia e do exército sul-africanos.

O relatório, muito criticado pela oposição e pela imprensa local, foi publicado três semanas depois da divulgação do conteúdo do relatório provisório da Defensora do Povo, Thuli Mandonsela, sobre o escândalo.

Segundo Mandonsela, Zuma teria incluído nas despesas de segurança - pagas pelo Estado - a construção de uma piscina, um curral para o gado e casas para parentes.

A porta-voz parlamentar da Aliança Democrática (DA, por sua sigla em inglês, e principal partido opositor), Lindiwe Mazibuko, qualificou o relatório governamental de "insulto a todos os sul-africanos".

Mazibuko nomeou de "ridículas" algumas das argumentações do documento, como "a tentativa de explicar (a construção de) um curral".

O escândalo de Nkandla colocou Zuma em foco poucos meses antes das eleições, que acontecerão entre abril e julho de 2014, onde pretende renovar seu mandato.

Zuma foi repetidamente vaiado pelo público que assistiu a cerimônia religiosa oficial em memória do ex-presidente Nelson Mandela no estádio FNB (antigo Soccer City), em Johanesburgo, em 10 de dezembro, e entre eles estavam muitos simpatizantes do Congresso Nacional Africano (CNA) liderado pelo presidente.

Esta semana, o novo líder do sindicato metalúrgico Numsa - principal membro da central sindical COSATU, a primeira do país e parceira do CNA - pediu a renúncia de Zuma depois da polêmica de Nkandla.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.