Mundo

Furacão Beryl: veja possível trajetória, locais que podem ser atingidos e em quais horários

Tempestade agora é 'potencialmente catastrófica', com ventos máximos sustentados de 260km/h, informou o Centro Nacional de Furacões (NHC) dos EUA

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 3 de julho de 2024 às 07h05.

Após ser elevado alcançar à categoria 5 (quando é considerado um fenômeno "potencialmente catastrófico"), o furacão Beryl segue sua trejetória pelo mar do Caribe depois de passar por várias ilhas no sudeste da região, onde provocou fortes chuvas e ventos devastadores. A previsão da National Hurricane Center (NHC), autoridade americana que monitora esses fenômenos, é de que a passagem deste furacão ainda dure até o sábado, quando pode chegar ao litoral norte do México e aos Estados Unidos, mas já com menor intensidade.

Ainda segundo a entidade, já nesta quarta o Baryl pode atingir as ilhas da Jamica e de Cuba, também chegando a Nicaragua e Honduras, na parte continental da América Central. Na quinta-feira, a expectativa da NHC é a de que o furacão chegue a Belize e ao sul do México.

Na sexta, ele seguirá no Caribe, com a possibilidade de uma aproximação com parte do litoral leste do México, antes de, já no sábado pela manhã, chegar ao Texas, nos Estados Unidos, onde deverá perder força completamente.

De acordo com os relatos das autoridades na região, o fenômeno deixou pelo menos três mortos em Granada, um em São Vicente e Granadinas e um no litoral da Venezuela.

Beryl é agora a tempestade de categoria 5 registrada mais cedo no Atlântico e um furacão "potencialmente catastrófico", com ventos máximos sustentados de 260 quilômetros por hora, informou o NHC na segunda-feira.

‘Isso não é um teste’: países se preparam para furacão Beryl, com ‘ventos com risco de vida’

Algumas horas antes, a ilha Carriacou, em Granada, recebeu o impacto direto "do extremamente perigoso muro do olho do furacão". Ilhas próximas, como São Vicente e Granadinas, também registraram "ventos catastróficos e tempestades ciclônicas potencialmente fatais", afirmou o NHC.

"Em meia hora, Carriacou estava arrasada", disse o primeiro-ministro de Granada, Dickon Mitchell, em entrevista coletiva.

Imagens de vídeo obtidas pela AFP mostram chuvas torrenciais e ventos intensos em St. George, em Granada. Durante a manhã, o NHC havia elevado Beryl à categoria 4 e o classificou como "extremamente perigoso".

"Não vá a lugar nenhum até receber o sinal verde", pediu o ministro de Assuntos Públicos de Barbados, Wilfred Abrahams.

Em Bridgetown, capital de Barbados, os carros faziam fila nos postos de gasolina, enquanto os supermercados e mercearias estavam lotados de pessoas que compravam alimentos, água e outros suprimentos.

Durante a tarde, as autoridades de Barbados, a mais oriental das ilhas de Barlavento (arquipélago das Antilhas menores), relataram estragos causados por fortes ventos e chuvas torrenciais, mas disseram ter evitado o desastre, sem o registro de feridos.

O serviço meteorológico da ilha rebaixou o alerta de furacões a um aviso de ventos até às 19h de Brasília. Santa Lúcia, São Vicente e Granadinas, Granada estão em alerta por furacão, enquanto Martinica, Dominica e Trinidad advertem para uma tempestade tropical.

Em Trinidad e Tobago, os alertas para uma tempestade tropical e furacões expiraram simultaneamente, segundo o NHC. Em Tobago, a menor das duas ilhas, foi declarado estado de emergência e o fechamento das escolas "até novo aviso", segundo o chefe do governo, Farley Augustine.

Uma reunião do bloco regional caribenho Caricom prevista para Granada nesta semana foi adiada devido à passagem do furacão.

A caminho do México

Segundo os especialistas, uma tempestade tão poderosa no início da temporada de furacões, que vai do início de junho ao final de novembro no Atlântico, é extremamente rara. "Apenas cinco grandes furacões (categoria 3+) foram registrados no Atlântico antes da primeira semana de julho", escreveu na rede X o especialista em furacões Michael Lowry.

De acordo com o previsto, Beryl continuará sua trajetória durante a madrugada de terça-feira no estado mexicano de Quintana Roo (oeste), onde estão localizados os balneários de Cancún e Riviera Maya. "Estamos pendentes, a Proteção Civil, a Secretaria da Defesa e a Marinha (...) observando toda a trajetória", afirmou o presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador,em rápidas declarações à imprensa em Cancún.

As autoridades mexicanas emitiram outro alerta devido à formação da tempestade Chris na noite de domingo no Golfo do México, o terceiro sistema na temporada do Atlântico. A tempestade tropical Alberto, a primeira da temporada na região, deixou pelo menos cinco mortos ao passar pelo norte do México há 10 dias.

Ondas de cinco metros

Os serviços meteorológicos em Martinica também previram um mar muito agitado "especialmente nesta segunda-feira". São esperadas ondas de 5 metros no canal Saint-Lucie, ao sul da ilha francesa.

A 'Météo France' prevê que a temporada de furacões de 2024 será "uma das mais intensas" nesta região. A Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA) também previu uma temporada extraordinária no final de maio, com a possibilidade de quatro a sete furacões de categoria 3 ou superior.

A agência citou as temperaturas quentes do oceano Atlântico e as condições relacionadas com o fenômeno climático La Niña no Pacífico para explicar o aumento das tempestades. Nos últimos anos, os fenômenos meteorológicos extremos, incluindo furacões, tornaram-se mais frequentes e devastadores como resultado da mudança climática.

Acompanhe tudo sobre:FuracõesCaribe

Mais de Mundo

Rivais desistem, e Kamala Harris tem caminho livre para garantir candidatura presidencial

Kamala Harris será candidata? Veja as 3 questões que vão definir isso

Eleições Venezuela: cinco pontos importantes para entender o contexto econômico e político do país

Eleições da Venezuela acontecem no domingo, em meio a ameaças e esperança de mudança

Mais na Exame