Mundo

França rechaça rumores sobre possível cancelamento dos Jogos Olímpicos

Ministro diz que boatos tentam prejudicar imagem do país

Gerald Darmanin, ministro do Interior da França (Bertrand Guay/AFP)

Gerald Darmanin, ministro do Interior da França (Bertrand Guay/AFP)

EFE
EFE

Agência de Notícias

Publicado em 4 de julho de 2024 às 15h08.

O ministro do Interior da França, Gérald Darmanin, denunciou rumores sobre um possível cancelamento dos Jogos Olímpicos de Paris devido à situação política na França, que interpreta como uma manobra para prejudicar a imagem de seu país e insistiu que “são fake news”.

“Há um certo número de rumores que se espalham para prejudicar a imagem da França, do presidente da República”, disse Darmanin em uma entrevista ao canal "France 2", na qual lembrou que o Comitê Olímpico Internacional (COI) desmentiu que tinha considerado a anulação e que lhe foi dado até meados do mês para decidir.

“O COI – explicou – tem dito repetidamente que a organização dos Jogos Olímpicos tem sido, se não perfeita, ao menos a melhor possível. As equipes americanas e israelenses, muito atentas à segurança, parabenizam todos os dias a polícia francesa”.

Além disso, referiu que mesmo o candidato da extrema-direita a primeiro-ministro nas eleições legislativas que serão realizadas no domingo, cujo grupo é o favorito para terminar na primeira posição, “disse que estão muito bem organizados”.

O ministro, que poderá deixar suas funções em decorrência das eleições antes dos Jogos (26 de julho a 11 de agosto), insistiu que o evento será realizado.

Ele destacou que 4 milhões de pessoas passaram sem incidentes pelo percurso que a chama olímpica percorre em todo o território francês.

Na origem desta questão está um artigo do "Le Journal du Dimanche" que retomava elementos de outro do "Le Point" no qual se afirmava que o presidente do COI, Thomas Bach, ficou escandalizado com a convocação antecipada de eleições na França há alguns semanas antes do início das Olimpíadas e que lhe foi dado tempo até meados de julho "para confirmar, cancelar ou adiar os Jogos".

Os serviços secretos alertaram para o risco de que a publicação dos resultados eleitorais do próximo domingo poderia originar incidentes e confusões.

O ministro anunciou que o dispositivo de segurança previsto será composto por 30 mil policiais e agentes, dos quais 5 mil em Paris e região, “para que a extrema-direita e a extrema-esquerda não se aproveitem para criar desordens”.

Acompanhe tudo sobre:FrançaOlimpíadasParis (França)

Mais de Mundo

Trump escolhe J. D. Vance como candidato a vice

Envelhecimento da população chinesa levará a uma queda na taxa de crescimento?

Shenzhen, hub da economia de baixa altitude da China, explora novas aplicações para drones

Fortes chuvas deixam pelo menos 35 mortos e 230 feridos no Afeganistão

Mais na Exame