Acompanhe:

O Comitê Nacional Republicano (RNC, na sigla em inglês) retirou uma resolução que considerava declarar o ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump o "presumível candidato para 2024" do partido antes que ele obtenha formalmente o número necessário de delegados, segundo uma pessoa familiarizada com a decisão declarou a AP na quinta-feira, 25.

A notícia da retirada da resolução ocorreu logo depois que Trump postou em seu site Truth Social que, embora apreciasse muito a ideia, ele sentia que “pelo bem da unidade do partido, que eles não deveriam seguir em frente com este plano, mas que eu deveria fazer do jeito ‘antiquado’ e terminar o processo nas urnas”.

A medida, de acordo com um rascunho obtido na quinta-feira pela Associated Press, dizia que “declara o presidente Trump como nosso presumível candidato para o cargo de presidente dos Estados Unidos em 2024 e, a partir deste momento, entra em modo de eleição geral completa, dando as boas-vindas aos apoiadores de todos candidatos como membros valiosos da Equipe Trump 2024.”

A retirada foi confirmada por uma pessoa familiarizada com a decisão, que não estava autorizada a discutir publicamente a proposta e falou sob condição de anonimato na noite de quinta-feira.

Se aprovada, a medida teria solidificado ainda mais o controle de Trump sobre o partido e o seu funcionamento, em meio a disputa pela nomeação de quem será o candidato do Partido Republicano nas eleições americanas de 2024. Trump compete com a ex-embaixadora dos EUA na ONU Nikki Haley.

A presidente do RNC, Ronna McDaniel, já havia sinalizado sua aprovação à resolução. Na terça-feira, 23, depois de Haley ter terminado em segundo lugar, atrás de Trump, em New Hampshire, McDaniel disse que, embora sentisse que a ex-embaixadora tinha “feito uma grande campanha”, os republicanos “precisam de se unir em torno do nosso eventual candidato, que será Donald Trump”.

“Quem se importa com o que o RNC diz? Deixemos que milhões de eleitores republicanos em todo o país decidam quem deve ser o candidato do nosso partido, e não um bando de pessoas de dentro de Washington”, disse a porta-voz da campanha, Olivia Perez-Cubas.

A AP tem uma política de não se referir a nenhum candidato como o “presumível candidato” até que ele ou ela tenha conquistado o número de delegados necessários para obter a maioria dos votos nas convenções nacionais do partido. O mais cedo que pode acontecer é março.

Mas não havia regras partidárias que proibissem o Comitê Nacional Republicano de tomar tal medida. Se tivesse sido adotada, poderia ter dado ao Partido Republicano um impulso no planejamento de um confronto eleitoral geral com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que já iniciou a sua campanha de reeleição.

Existe também um precedente para o comité declarar um candidato como o presumível candidato antes de ganhar os 1.215 delegados necessários para garantir a nomeação. O então presidente do RNC, Reince Priebus, fez o mesmo com Trump em maio de 2016.

Apesar de perder as disputas de Iowa e New Hampshire para Trump, Haley argumentou que seu desempenho - superando todos os outros rivais de Trump - mostra a força de sua candidatura. Trump tem atualmente 32 delegados contra os 17 de Haley.

Durante um comício na noite de quarta-feira em seu estado natal, a Carolina do Sul, Haley apontou que sua campanha arrecadou mais de US$ 1 milhão desde que terminou em segundo lugar em New Hampshire.

A candidata a nomeação republicana para a presidência dos Estados Unidos Nikki Haley conversa com apoiadores

Trump tentou desestimular os apoiadores de Haley com ameaças sobre o futuro.

“Qualquer pessoa que faça uma ‘contribuição’ para Birdbrain, a partir deste momento, será permanentemente excluída da minha candidatura”, escreveu Trump, usando o apelido que criou para Haley. “Não os queremos e não os aceitaremos, porque colocamos a América em primeiro lugar e sempre o faremos!”

A campanha de Haley disse na quinta-feira que arrecadou mais de US$ 1,2 milhão “após a promessa desequilibrada de Trump de ‘barrar permanentemente’ qualquer indivíduo que contribuísse para a campanha de Haley”.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Governo dos EUA anuncia R$ 100 bilhões para projetos de energia limpa
ESG

Governo dos EUA anuncia R$ 100 bilhões para projetos de energia limpa

Há 6 horas

Juíza dos EUA rejeita pedido de Trump para arquivar caso de documentos sigilosos
Mundo

Juíza dos EUA rejeita pedido de Trump para arquivar caso de documentos sigilosos

Há 6 horas

Eleições EUA: No Labels desiste de lançar candidato da 'terceira via'
Mundo

Eleições EUA: No Labels desiste de lançar candidato da 'terceira via'

Há 7 horas

É adequado Fed levar o tempo que for preciso para começar a cortar juros, diz dirigente
Economia

É adequado Fed levar o tempo que for preciso para começar a cortar juros, diz dirigente

Há 10 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais