Bombardeio russo contra maternidade no sul da Ucrânia mata recém-nascido

O presidente ucraniano prometeu que a Rússia "terá que prestar contas por todos os danos que fez ao país"
Bombardeio atingiu uma maternidade na região de Zaporizhzhia, sul da Ucrânia, anunciou o serviço de emergência (AFP/Getty Images)
Bombardeio atingiu uma maternidade na região de Zaporizhzhia, sul da Ucrânia, anunciou o serviço de emergência (AFP/Getty Images)
E
Estadão Conteúdo

Publicado em 23/11/2022 às 08:40.

Última atualização em 23/11/2022 às 08:41.

Ao menos três civis, incluindo um recém-nascido, morreram em novos bombardeios russos na Ucrânia, o que levou o presidente ucraniano Volodymyr Zelenski a acusar Moscou de provocar o "terror" em seu país.

"O inimigo decidiu mais uma vez tentar alcançar, com terror e assassinato, o que não conseguiu em nove meses e não vai conseguir", escreveu Zelensky no Telegram, em referência ao período de invasão de seu país.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

O presidente ucraniano prometeu que a Rússia "terá que prestar contas por todos os danos que fez ao país".

Entre as vítimas está um bebê que morreu em um bombardeio que atingiu uma maternidade na região de Zaporizhzhia, sul da Ucrânia, anunciou o serviço de emergência.

Na madrugada de 23 de novembro, na cidade de Vilniansk, região de Zaporizhzia, o edifício de dois andares da maternidade foi destruído por um ataque com foguetes contra o hospital local", afirmou o serviço ucraniano para situações de emergência

"Como resultado do ataque, um bebê nascido em 2022 morreu", acrescentou o serviço estatal.

No local atingido estavam, além do bebê, a mãe da criança e um médico.

A mãe ficou ferida, informou Zelensky, também em sua conta no Telegram.

LEIA TAMBÉM: