Mundo

Biden e Trump trocam ataques em atos de campanha

Trump, que enfrenta acusações criminais por sua tentativa de reverter o resultado da eleição presidencial de 2020, fez campanha no Texas neste fim de semana

Joe Biden: presidente dos Estados Unidos. (Eros Hoagland/Getty Images)

Joe Biden: presidente dos Estados Unidos. (Eros Hoagland/Getty Images)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 19 de maio de 2024 às 07h47.

O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, que busca retornar à Casa Branca, proferiu insultos neste sábado contra o rival democrata, Joe Biden, que afirmou em ato de campanha que o magnata republicano “está perturbado”.

Trump, que participou de um evento em Dallas no qual recebeu o apoio da poderosa Associação Nacional do Rifle (NRA, sigla em inglês), afirmou que Biden é, "de longe, o pior presidente da história americana", e o chamou de mentiroso e corrupto.

"Está demitido, vá embora daqui", disse o magnata, arrancando risadas da plateia. "Biden é uma ameaça à democracia", acrescentou.

Trump, que enfrenta acusações criminais por sua tentativa de reverter o resultado da eleição presidencial de 2020, fez campanha no Texas neste fim de semana. Já Biden participou hoje de um ato na Geórgia, estado em que o democrata teve uma vitória apertada em 2020.

“Nossa democracia está realmente em risco”, alertou o democrata a apoiadores de Atlanta reunidos no restaurante Mary Mac’s Tea Room, que tem um proprietário afro-americano, um público-chave para a sua campanha.

“Meu adversário não é um bom perdedor, mas é um perdedor", disse Biden, sob aplausos. "Não está apenas obcecado por ter perdido em 2020, está perturbado. Trump não está se candidatando para liderar o país, e sim por vingança."

Acompanhe tudo sobre:Joe BidenDonald Trump

Mais de Mundo

Chanceler israelense ameaça Hezbollah libanês com 'guerra total'

Alemanha alerta risco de ataques terroristas semelhantes ao de Moscou

Sob críticas da Otan, Putin desembarca na Coreia do Norte para estreitar parceria 'estratégica'

Milei perde apoio em 18 de 24 municípios da Grande Buenos Aires, mostra pesquisa

Mais na Exame