Mundo

Biden diz que vai parar de enviar armas e bombas para Israel em caso de ofensiva em Rafah

Casa Branca atrasou o envio de armas após ofensiva em Rafah

Publicado em 9 de maio de 2024 às 06h51.

Última atualização em 9 de maio de 2024 às 09h16.

O presidente dos EUA, Joe Biden, disse na quarta-feira que bombas americanas foram usadas para matar civis em Gaza e reforçou a mensagem de que pode suspender o fornecimento armas a Israel para pressionar o governo de Binyamin Netanyahu a não invadir a cidade de Rafah.

Mais de um milhão de palestinos procuraram refúgio na cidade no sul de Gaza. A ONU disse que uma operação militar no local poderia levar a uma "catástrofe humanitária".

Pelo menos 30 pessoas foram mortas em Rafah desde terça-feira, incluindo mulheres e crianças, disse o porta-voz do hospital Al Kuwaiti em Rafah à ABC News. Mais de 33.000 pessoas foram mortas em Gaza, de acordo com o Ministério da Saúde de Gaza, administrado pelo Hamas, desde o início do conflito, em outubro.

“Civis foram mortos em Gaza como consequência dessas bombas e de outras formas de ataque a centros populacionais”, disse Biden durante entrevista à CNN.

"Deixei claro que se eles [forças israelenses] forem para Rafah - eles ainda não foram para Rafah - se eles forem para Rafah, não fornecerei as armas que têm sido usadas historicamente para lidar com Rafah."

"Então ainda não ultrapassou sua linha vermelha?", perguntou Erin Burnett, da CNN, sobre a ação atual de Israel em Rafah. "Ainda não. Mas nós retivemos as armas. Retivemos um carregamento. É um carregamento antigo. Retivemos isso", disse Biden.

A Casa Branca classificou na terça-feira a incursão israelense em Rafah de “alcance limitado” até agora.

“Somos responsáveis pelos interesses de segurança do Estado de Israel e estamos atentos aos interesses dos Estados Unidos na região”, disse o porta-voz das Forças de Defesa de Israel, Daniel Hagari.

Na mesma entrevista, Biden esclareceu que' “os EUA continuarão a garantir que Israel esteja seguro em termos do Domo de Ferro e de sua capacidade de responder aos ataques que vieram recentemente do Oriente Médio”

Acompanhe tudo sobre:Joe BidenIsraelFaixa de Gaza

Mais de Mundo

Com margem estreita, Milei tenta aprovar pacote de reformas no Senado argentino

Às vésperas do G7, EUA anuncia mais sanções contra Rússia pela guerra na Ucrânia

Gorjetas no exterior: dicas para viajar sem estresse

Milei retira Aerolíneas e Correios de lista de privatizações para tentar aprovar Lei de Bases

Mais na Exame