Mercado imobiliário

5 curiosidades sobre o novo prédio mais alto de São Paulo

Construtora entrega nesta segunda-feira, 5, prédio com 172 metros de altura e 46 andares localizado no Tatuapé, zona leste da cidade

Platina 2020: empreendimento tem 20 elevadores, que demoram 51 segundos para subir do térreo ao último andar (Porte Engenharia/Divulgação)

Platina 2020: empreendimento tem 20 elevadores, que demoram 51 segundos para subir do térreo ao último andar (Porte Engenharia/Divulgação)

Marília Almeida

Marília Almeida

Publicado em 5 de setembro de 2022 às 16h03.

Última atualização em 5 de setembro de 2022 às 16h05.

A construtora Porte entrega nesta segunda-feira, 5, o prédio mais alto de São Paulo, com 172 metros de altura e 46 andares.

O empreendimento de uso misto tem lojas no térreo, hotel, apartamentos residenciais, salas comerciais e lajes corporativas. O Platina 220 está localizado ao lado do Shopping Metrô Tatuapé, na zona leste da cidade.

"A intenção não foi construir o prédio mais alto, mas colocar no empreendimento tudo o que achamos que a região precisa. Ele compõe o eixo de desenvolvimento socioeconômico e urbano que queremos implantar na região, que traz o conceito de aproximar moradia, trabalho, estudo, saúde, cultura e lazer”, conta Igor Melro, diretor comercial da Porte.

Gostaria de aprender a investir em fundos imobiliários? Acesse aqui o curso gratuito da EXAME Academy em parceria com a B3

Veja abaixo cinco curiosidades sobre o novo empreendimento:

1) Elevadores

O empreendimento tem 20 elevadores com velocidade de 51 segundos do térreo ao topo

2) Fachada ventilada

Feita por placas de cerâmica extrudada, possui um colchão de ar entre a alvenaria de vedação e as placas, seu objetivo é proporcionar maior conforto térmico ao manter as temperaturas dos apartamentos mais baixas no verão e minimizar a perda de calor no inverno.

Além disso, o material é autolimpante, ou seja, o custo de manutenção da fachada fica mais baixo, assim como a necessidade de limpeza, evitando o gasto de água. 

3) Prédio desbancou o histórico Mirante do Vale

O Platina tem dois metros a mais do que o Mirante do Vale, localizado no centro da cidade. Com 51 andares, inaugurado na década de 60 ele foi por 48 anos o maior edifício do país, além de ter sido o 18.º arranha-céu mais alto da América do Sul. Até o lançamento do Platina, era o mais alto da cidade.

4) Empreendimento tem um prédio-irmão

Antes do Platina 220, a Porte construiu o Figueira, que fica no bairro adjacente ao do Tatuapé, o Anália Franco. É hoje o empreendimento residencial mais alto da cidade, com 168 metros de altura e 50 pavimentos.

5) Túnel de vento

Para testar a resistência do prédio à intempéries, a construtora usou um túnel de vento, instalação que tem por objetivo simular o efeito do movimento de ar sobre ou ao redor do prédio.

Realizado pelo IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) e não obrigatório pela legislação, ele consiste em um duto onde o ar entra e passa pelo objeto testado enquanto é monitorado do lado de fora e sai empurrado por um grande ventilador.

Características gerais

Com apartamentos de 35 metros quadrados a 70 metros quadrados, salas comerciais de 26 metros quadrados a 49 metros quadrados e lajes corporativas de 250 metros quadrados a 500 metros, o empreendimento terá um hotel com 190 quartos. Também tem uma fachada ativa no térreo composta por 19 lojas.

Infográfico Platina 220

Infográfico Platina 220 (Platina 220)

No primeiro pavimento, ficarão as áreas comuns dos apartamentos residenciais e do hotel da bandeira Intercity. Ambos os usos ocuparão do 2° ao 10° andar. Acima deles ficarão as salas comerciais, que ocuparão do 12º ao 24º andar, e as lajes corporativas, que irão ocupar o espaço entre o 25º andar e o 46º andar.

Para atingir o potencial construtivo, foram utilizados os benefícios previstos pelo Novo Plano Diretor da cidade de 2014, como uso misto, fachadas ativas, fruição com a rua, dentre outros.

Platina 220 em números

• 172 metros de altura;
• 48 pavimentos;
• 46 andares abertos;
• 59.233 metros quadrados de área construída;
• 6.396 metros quadrados de área de terreno;
• 19 lojas no piso térreo;
• 190 quartos de hotel ocupando do 2º ao 10º pavimento;
• 80 apartamentos ocupando do 2º ao 10º pavimento;
• Salas comerciais ocupando do 12º ao 24º pavimento;
• 50 salas corporativas ocupando do 25º ao 46º pavimento;
• Fundação feita sobre 338 tipo hélice contínua;
• Torre: 32.230 mil metros cúbicos de concreto e 3,9 milhões de toneladas de aço;
• Bloco central: 112 betoneiras, 873 m³ de concreto e 600 toneladas de aço;

Acompanhe tudo sobre:Construtorasmercado-imobiliariosao-paulo

Mais de Mercado imobiliário

Herança de imóvel: O que acontece quando um dos herdeiros não tem onde morar?

Como é o processo de desmembramento de terreno?

Como é morar na Vila Carrão?

Leilão de 87 imóveis tem lance inicial a partir de R$ 50 mil; veja como participar

Mais na Exame