Acompanhe:
seloMarketing

Nestlé cria linha popular Nescafé Dolce Gusto

Sistema inspirado no Nespresso é voltado para a família e conta com modelo de negócio amplo

Modo escuro

Continua após a publicidade
Nescafé Dolce Gusto chegou às lojas primeiro em São Paulo, no Paraná, em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul

Nescafé Dolce Gusto chegou às lojas primeiro em São Paulo, no Paraná, em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul

B
Bruno Mello

Publicado em 10 de outubro de 2010 às, 03h41.

Rio de Janeiro - Aos poucos, as cafeteiras que por anos a fio fizeram o café da manhã tradicional dos brasileiros sairão de casa pela porta da cozinha. Enquanto isso, pela porta da frente, entrará em cena uma máquina capaz de produzir café espresso, cappuccino e chocolate quente para toda família. Pelo menos esta é a aposta da Nestlé ao lançar o Nescafé Dolce Gusto com força total, depois de introduzir o modelo lançado na Europa em 2006 e por aqui no ano passado, sendo o primeiro país da América do Sul a receber a novidade.

Nescafé Dolce Gusto aposta num modelo que une uma marca reconhecida a um desejo latente do consumidor brasileiro da classe média: preparar em casa as mesmas bebidas que está acostumado a degustar nas cafeterias. Tudo isso, aliado à facilidade de utilizar a máquina com sistema de cápsulas, a um design diferenciado e a um preço acessível. Qualquer semelhança com o seu primo rico Nespresso não é mera coincidência.

O novo produto foi desenvolvido para preencher um espaço que não estava sendo atendido por Nespresso por conta do preço, da marca e do modelo de distribuição. Uma máquina que prepara apenas o espresso tradicional pode custar até R$ 3 mil e um dos sistemas Nespresso mais em conta sai por R$ 1 mil. Já Dolce Gusto pode ser adquirido por R$ 600,00. Enquanto Nespresso é super premium, focado no café gourmet, na seleção de sabores de café e é vendido em boutiques próprias, Nescafé Dolce Gusto é para massa, com bebidas à base de café e vendido no grande varejo, desde lojas de eletrodomésticos e até supermercados.

Novidade para a família

O posicionamento de Dolce Gusto é de uma máquina - desenvolvida em parceria com a Arno - voltada para a família por ter uma variedade de bebidas, como o espresso tradicional, o espresso intenso, o caffè lungo, o cappuccino, o latte macchiato, com uma combinação do espresso com o leite, e Chococino, um chocolate quente. "O consumidor queria ter estas bebidas diferentes dentro de casa", aponta Liliam Mirando, diretora de cafés e bebidas da Nestlé. "Ele está ávido por novidade e tinha oportunidade para oferecer uma opção diferente com qualidade e valor", completa.

A Nestlé levou dois anos para lançar o sistema no Brasil, porque desenvolveu pesquisas quantitativas e qualitativas com consumidores e com revendedores. Descobriu-se que um dos motivos para não comprar as máquinas de espresso, além do preço, era a dificuldade de se preparar a bebida. A multinacional também introduziu o produto de forma gradual para poder corrigir eventuais falhas que, segundo a empresa, não ocorreram. "Queríamos entender a aceitação do consumidor num primeiro momento", afirma Liliam.


Nescafé Dolce Gusto chegou às lojas primeiro em São Paulo, no Paraná, em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul. "A aceitação do consumidor tem sido ótima. Os produtos têm surpreendido o cliente", comemora a executiva. Os próximos mercados a venderem o produto são Rio de Janeiro, Brasília e Belo Horizonte. Todas as cidades brasileiras, no entanto, podem receber as máquinas pelo fato da companhia vender também pela internet.

Design faz a diferença

O público-alvo do produto é amplo. São pessoas que gostam de café, acostumas às cafeterias e que queiram bebidas de qualidade em casa também. Há consumidores que escolhem lugares de destaque na cozinha ou na sala de jantar para exibir a máquina. A ideia é justamente expor o design diferenciado que ganha cor preta, branca ou vermelha, a mais vendida. Outro atributo do produto valorizado é a personalização. Com Dolce Gusto é possível preparar um café com leite com menos café ou menos leite.

E é no ponto-de-venda que a Nestlé está destacando estas características. Um dos desafios é mostrar que é simples preparar um café espresso. As ações de degustação representam um dos principais pilares de promoção. "Há um mito de que manusear uma máquina de café espresso é difícil. Mostramos que é simples, fácil e é só apertar um botão", explica Liliam Mirando, da Nestlé.  "Temos trabalhado para ter uma conversa próxima com o consumidor para explicar sobre o conceito", ressalta a diretora, que estima já ter impactado mais de um milhão de pessoas no PDV.

Outro ponto de alto investimento para a marca é a comunicação. Nescafé Dolce Gusto ganhou o Brasil com comerciais na TV e com merchandising em programas como O Aprendiz, da Rede Record. Agora, a meta é fazer o consumidor comprar. "Gostaríamos que cada brasileiro tivesse uma máquina em casa”, conta Liliam. "Somos referência na produção e devemos ser também no consumo. Dolce Gusto é a democratização do café de qualidade", acredita.


Últimas Notícias

Ver mais
Flamengo anuncia concorrente do TikTok como novo patrocinador
seloMarketing

Flamengo anuncia concorrente do TikTok como novo patrocinador

Há um dia

Quer ser influencer da Hope? Marca quer ter 1 mil criadores até o fim de 2024
seloMarketing

Quer ser influencer da Hope? Marca quer ter 1 mil criadores até o fim de 2024

Há 2 dias

De Morumbis à Cacau Show e Playcenter, o futuro das marcas está na intensidade da lembrança
seloMarketing

De Morumbis à Cacau Show e Playcenter, o futuro das marcas está na intensidade da lembrança

Há 3 dias

Giro d’Itália no Brasil: Prova de ciclismo de estrada deve movimentar R$ 10 milhões
seloMarketing

Giro d’Itália no Brasil: Prova de ciclismo de estrada deve movimentar R$ 10 milhões

Há 4 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais