De olho na “gôndola do futuro”, Danone usa IA para ajudar varejistas

Com dados reunidos em diferentes filiais ao redor do mundo, companhia traz dados a respeito de como exibir produtos nas prateleiras – e ganhar pelo menos 10% a mais com isso

A Danone, multinacional líder em produtos lácteos, lançou um portal que tem como objetivo ajudar varejistas a vender mais – de graça. A partir da análise de conjuntos diferentes de informações coletadas em filiais, parceiros e de estudos ao redor do mundo, a empresa oferece aos supermercados a possibilidade de consultar em uma plataforma qual é a melhor forma de exibir os produtos da empresa em cada ambiente. Como resultado, um incremento de pelo menos 10% nas vendas pode ser obtido.

O mundo está mais complexo, mas dá para começar com o básico. Veja como, no Manual do Investidor

De forma prática, a plataforma, chamada GC Danone, exibe diversas possibilidades de organização dos produtos nas gôndolas, possibilitando uma melhor comparação entre marcas, preços e propostas de produtos similares aos consumidores. Tudo adaptado a partir de informações que o próprio varejista insere no site – como tamanho da loja e das prateleiras, por exemplo. A partir daí, é possível agrupar os produtos de acordo com seus benefícios e facilitando a experiência do consumidor no ponto de venda (PDV).

O portal é o resultado mais recente de uma parceria consultiva da empresa com o setor no país, que começou a ganhar força em 2019. O principal motivo da busca dos varejistas pela empresa foi o de desmistificar a complexidade da quantidade de iogurtes e bebidas a serem vendidas, apresentando-as aos consumidores da melhor forma possível.

 “O mercado vem se desenvolvendo muito. Antes, se você pensar, iogurtes não eram tão complexos, existiam algumas poucas opções. Hoje, há diferentes tipos de produtos, como zero lactose, light, proteico, grego, entre outros. Percebemos que muitos varejistas passaram a ficar perdidos na hora de ver qual a melhor forma de dispor esses produtos. Então, reunimos as informações que temos e percebemos que poderíamos ajuda-los muito com o que chamamos de ‘PDV do Futuro’, um conjunto de informações que reúne desde a organização das gôndolas até mostrar tendências”, afirma Marina Fernie, vice-presidente de Marketing da Danone, à EXAME.

A iniciativa fez tanto sucesso que superou a capacidade de atendimento da equipe destinada para o projeto. Daí a ideia de digitalizar todo o processo e democratizar o acesso às informações. Hoje, pelo menos 195 varejistas são atendidos pela Danone nessa parceria – um número que deve crescer cada vez mais.

“A pandemia obrigou muitos estabelecimentos a se tornarem mais digitais e esse esforço foi benéfico para nós, de certo modo. A partir disso, vimos a oportunidade de lançar esse portal e nos aproximar cada vez mais desses parceiros, dividindo conhecimento. Então, cuidamos da parte técnica de tecnologia e inteligência de dados para proporcionar a eles essa nova plataforma”, explica Marina.

Apesar do avanço do uso de plataformas digitais – e do consequente crescimento do e-commerce –, por enquanto, o portal da Danone é totalmente focado na organização das prateleiras das lojas físicas. A companhia deve colocar o site à disposição dos varejistas e fazer alterações ao longo do tempo. Ainda assim, não descarta incluir informações sobre como organizar o melhor a disposição do próprio e-commerce em médio prazo.

Vale lembrar que alguns varejistas já fazem esforços para tornar a experiência digital cada vez mais adaptada aos consumidores. No ano passado, o Pão de Açúcar acelerou investimentos para se manter à frente de novos concorrentes, como Magalu e Mercado Livre. Voltando ao ambiente físico, o Walmart também investiu em digitalização para manter o máximo possível de distância entre clientes e funcionários.

Por enquanto, o portal só está disponível no Brasil (mas já chama a atenção de outros países). Segundo Marina Fernie, diretora de Marketing da Danone, o benchmarking dentro da própria empresa já acontece – mesmo com hábitos de consumo diferentes em cada país em que a companhia está presente.

“Estamos muito satisfeitos com esse projeto. Acreditamos que o esforço de democratizar o acesso ao conhecimento para os varejistas faz parte de quem a Danone é, e aliá-lo à transformação digital da companhia é extremamente satisfatório para nós”, finaliza.

O esforço da companhia em promover uma iniciativa gratuita para ajudar o setor é novo, mas outras iniciativas da gigante de bebidas lácteas têm chamado a atenção durante a pandemia. No ano passado, a empresa se uniu à Leroy Merlin para ajudar startups da economia circular e aumentou vendas a partir da ajuda a profissionais de educação física. Parece que a Danone está -- mesmo -- determinada a deixar a sua marca nessa nova realidade.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.