Marketing

Corinthians fecha com o Magazine Luiza para jogo contra o Vasco

Jogadores terão camisas personalizadas para divulgar o "Magazine Você"

Corinthians: camisa contra o Vasco terá marca do Magazine Luiza (Divulgação)

Corinthians: camisa contra o Vasco terá marca do Magazine Luiza (Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 23 de maio de 2012 às 11h50.

São Paulo - O Corinthians entrará em campo hoje contra o Vasco por uma vaga na semifinal da Libertadores com a marca do Magazine Luiza estampado no peito e nas costas dos jogadores. O valor do contrato não foi revelado pelo clube, que o definiu como "o maior patrocínio pontual do futebol brasileiro", fechado por um valor recorde para o mercado nacional".

Cada jogador terá um uniforme personalizado. “Nosso intuito é que fique claro aos torcedores que todo mundo pode ter sua própria loja do Magazine Você nas redes sociais Facebook e Orkut”, afirma Frederico Trajano, diretor de marketing e vendas do Magazine Luiza.

"Na camisa do volante Ralf, por exemplo, abaixo do número 5, constará a inscrição Magazine Ralf".

O objetivo da varejista é pegar carona na grande audiência que a partida deve ter. “O Corinthians tem as duas maiores audiências do ano na TV e temos tudo para quebrar o recorde de 2012 com o jogo desta quarta-feira”, diz Ivan Marques, diretor de marketing do Corinthians.

O Magazine Luiza é uma iniciativa de social commerce pela qual os usuários do Facebook e do Orkut podem criar sua própria loja da marca na internet e receber comissões entre 2,5% e 4,5% por venda. Hoje, a rede já conta com 33 mil páginas abertas.

Acompanhe tudo sobre:ComércioCorinthiansEmpresasEmpresas brasileirasEsportesFutebolMagazine LuizaPatrocínioVarejoVasco

Mais de Marketing

Samsung e Apple: o choque entre perfeição tecnológica e a imperfeição humana

Polishop: comerciais de TV eram sucesso entre crianças na década de 1990; entenda a razão

Parceria entre Coca-Cola e outras 5 empresas supera 1 milhão de litros de água para o RS

Samsung alfineta Apple após comercial de iPad Pro: 'A criatividade não pode ser esmagada'

Mais na Exame