Marketing

Essa Coca é Fanta? Sim. Marca coloca Fanta Laranja em latinhas

Ação interna da Coca-Cola transforma piada homofóbica em marketing e orgulho para funcionários

Latinha especial de Coca-Cola: Fanta Laranja dentro no Dia do Orgulho LGBT (Coca-Cola/Divulgação)

Latinha especial de Coca-Cola: Fanta Laranja dentro no Dia do Orgulho LGBT (Coca-Cola/Divulgação)

Guilherme Dearo

Guilherme Dearo

Publicado em 28 de junho de 2017 às 15h16.

Última atualização em 29 de junho de 2017 às 12h21.

São Paulo - Você já deve ter ouvido (ou até feito) essa piada homofóbica por aí: "Essa Coca é Fanta!" (outra versão traz "Essa Fanta é uva!").

Pois no Dia Internacional do Orgulho LGBT, a Coca-Cola resolveu criar uma Coca que traz realmente Fanta Laranja dentro da latinha.

A campanha colocou no rótulo da latinha "Essa Coca-Cola é Fanta. E daí?".

A edição especial não será comercializada, contudo.

A ação foi feita internamente dentro da sede da Coca-Cola no Botafogo, Rio de Janeiro. A criação foi da agência David.

Apenas funcionários puderam conferir de perto a novidade, que estava nas geladeiras dos 13 andares da empresa.

"Criamos uma lata especial para reconhecer quem ignora rótulos, desafia os preconceitos e assume quem realmente é. Essa Coca é orgulho. Essa Coca é Respeito. Essa Coca é Fanta", disse a marca.

Apesar de interna, a ação foi um acerto de Marketing, já que, claro, as imagens da latinha Coca-Fanta viralizaram nas redes sociais.

Os funcionários também receberam em seus e-mails a seguinte mensagem sobre o Dia Internacional do Orgulho LGBT:

Carta interna da Coca-Cola: mensagem no Dia do Orgulho LGBT

Carta interna da Coca-Cola: mensagem no Dia do Orgulho LGBT (Coca-Cola/Divulgação)

 

Acompanhe tudo sobre:Coca-ColaDesignEmbalagensLGBT

Mais de Marketing

Os times de futebol mais valiosos do Brasil e do mundo em 2024

As 10 marcas mais inclusivas do mundo, segundo pesquisa; Google lidera ranking

Igor Puga é o novo CMO da Zamp, dona do Burger King e Popeyes

Disputa pelas listras: Adidas luta com grife Thom Browne pelo monopólio da marca

Mais na Exame