• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Banco digital para mulheres lança investimento automático

Banco digital começa a oferecer criação de carteiras conforme objetivo de vida e quer ser ponte entre investidoras e microempreendedoras
Vanise Zimmer, CEO do LadyBank: próximo passo é oferecer empréstimos para microempreendedoras e criar marketplace com produtos vendidos por mulheres (Divulgação/Ladybank)
Vanise Zimmer, CEO do LadyBank: próximo passo é oferecer empréstimos para microempreendedoras e criar marketplace com produtos vendidos por mulheres (Divulgação/Ladybank)
Por Marília AlmeidaPublicado em 12/05/2022 06:00 | Última atualização em 13/05/2022 10:18Tempo de Leitura: 3 min de leitura

BAlém da criação de uma nova marca, o LadyBank, antigo ElasBank, anuncia o lançamento de sua carteira de investimentos automatizada.

Com o serviço, as clientes podem criar um portfólio de aplicações personalizado. A partir daí, a gestão dos ativos é feita de forma automática, com o uso de inteligência artificial via robô.

A tecnologia, que vem sendo desenvolvida há duas décadas, faz o balanceamento e a gestão diária das carteiras de acordo com o momento de vida do investidor. A alocação das aplicações é feita pela fintech em diversas corretoras.

O objetivo da nova ferramenta é democratizar investimentos para mulheres com poucos recursos e conhecimento, diz Vanise Zimmer, fundadora e CEO do LadyBank.

Será possível optar por carteiras de investimento com foco em temas ESG (sigla para investimentos em empresas que buscam preservar o meio ambiente e/ou se preocupam com questões sociais e de governança).

“A cliente pode instruir o robô a criar uma carteira com empresas que atuam com foco na equidade de gênero, um tema importante para ela”, diz Zimmer.

Onde Investir em 2022? Faça o teste e descubra se você está preparado para encontrar as melhores oportunidades de investimento do ano!

O novo serviço complementa o portfólio da fintech, que já inclui conta digital isenta de tarifas, serviços gratuitos, como PIX e TED; cartão de crédito pré-pago internacional e serviço de planejamento financeiro. Todos os serviços estão disponíveis em um aplicativo.

Ao realizar o cadastro no LadyBank a cliente pode ter um panorama da situação financeira ao permitir a integração de todas as suas contas bancárias, via open banking.

A partir desse diagnóstico, é possível criar orçamentos para acompanhar receitas e despesas e definir objetivos para criar um planejamento financeiro.

Empréstimos para microempreendedoras

Nos próximos meses, o banco digital planeja lançar uma linha de crédito para estimular o empreendedorismo feminino, além de produtos de câmbio, seguro e um e-commerce.

O crédito será oferecido em uma plataforma de empréstimos entre pessoas conta Zimmer. "Nosso projeto foi acelerado pela embaixada de Berlim. A ideia é tomar crédito de investidoras alemãs para que financiem microempreendedoras no Brasil, com base em um modelo de risco próprio.

"É interessante para essas investidoras aplicarem dinheiro aqui, pois a taxa de juros cobrada no país proporciona rendimentos maiores", diz a CEO do LadyBank.

Histórico

O banco digital começou a operar há cerca de um ano e meio. e foi concebido a partir de pesquisas sobre economia comportamental, psicologia financeira, desigualdade de gênero e inclusão financeira, explica Zimmer.

“No início, tínhamos o objetivo de traçar um diagnóstico da oferta no mercado. Mas identificamos a necessidade de produtos e serviços sob medida para aumentar a participação feminina no mercado financeiro”.

Dos quase 5 milhões de CPFs registrados na B3, apenas 23% pertencem a mulheres. No Brasil, considerando a população economicamente ativa, apenas 18% dos investidores são mulheres.

Entre as mulheres investidoras, cerca de 75% estão apenas poupando, mas não investem em ativos mais rentáveis.

Mudança de marca

Em março de 2020, o INPI determinou que a marca ElasBank era muito semelhante às marcas Fundo Elas, EllaBank e ElasInvestimentos e solicitou o desuso da marca à fintech.

O ElasBank travou então uma disputa administrativa no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), mas a concorrente conseguiu a prioridade de marca registrada.

Para quem já é cliente do banco digital, nada muda. Em breve, os clientes devem receber cartões com a nova marca. Basta fazer o desbloqueio para utilizar os serviços.

Veja Também

Veja quem pode sacar até R$ 1.000 do FGTS nesta semana
Minhas Finanças
Há 3 horas • 4 min de leitura

Veja quem pode sacar até R$ 1.000 do FGTS nesta semana