Invest

INSS: qual será o novo teto? E o reajuste de quem se aposentou em 2023?

Valor máximo pago subiu para R$ 7.786, na menor alta em cinco anos. Quem obteve a concessão do benefício ao longo do ano passado terá correção proporcional

INSS: Para quem recebe pelo piso, haverá ganho real, graças à política de valorização do salário mínimo (Pedro França/Agência Senado)

INSS: Para quem recebe pelo piso, haverá ganho real, graças à política de valorização do salário mínimo (Pedro França/Agência Senado)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 12 de janeiro de 2024 às 11h32.

Última atualização em 12 de janeiro de 2024 às 11h32.

O ministro da Previdência Social, Carlos Lupi, confirmou na quinta-feira que o reajuste dos benefícios do INSS para quem ganha acima de um salário mínimo será de 3,71%, ou seja, sem ganho real.

O percentual é o menor em cinco anos, já que o índice que corrige os benefícios, o INPC, refletiu a queda da inflação no ano passado.

Para quem recebe pelo piso, haverá ganho real, graças à política de valorização do salário mínimo adotado pelo governo Lula. Desde 1º de janeiro, o piso subiu para R$ 1.412, com um reajuste de 6,97% sobre o valor vigente em 2023, que era de R$ 1.320.

Mas qual será agora o novo teto do INSS? E quando começa a ser pago os benefícios com o reajuste? Para quem se aposentou ao longo de 2023, qual será o índice de corrreção?

Teto do INSS

Atualmente, o valor máximo do benefício para aposentadorias e pensões é de R$ 7.507,49. Com o reajuste de 3,71%, o novo teto vai subir para R$ 7.786.

E quem se aposentou em 2023?

Os beneficiários do INSS que passaram a receber aposentadoria, pensão ou auxílio ao longo de 2023 — e ganham acima do salário mínimo nacional — terão um reajuste proporcional, de acordo com a data em que começaram a ter direito ao benefício.

Consignado do INSS: Teto dos juros cai para 1,76%; valor era de 1,80%

Por isso, os ministérios da Previdência Social e da Fazenda divulgaram, nesta sexta-feira, uma tabela escalonada com percentuais de correção de acordo com o mês de concessão.

Isso ocorre porque, segundo o INSS, esses beneficiários não sofreram os efeitos da inflação cheia de 2023 sobre seus benefícios. Por isso, terão reposição proporcional.

Qual começa a valer?

A vigência dos reajustes é para janeiro - ou seja, o novo valor vai ser pago ao beneficiário quando este receber sua aposentadoria, pensão ou auxílio nos primeiros cinco dias úteis de fevereiro.

Acompanhe tudo sobre:Previdência SocialINSS

Mais de Invest

Veja o resultado da Mega-Sena, concurso 2726; prêmio é de R$ 30 mi

Devedores têm último fim de semana para aderir ao Desenrola Brasil

Para acelerar atendimento a benefícios sociais, Caixa abre 17 agências no RS no sábado e domingo

Sem ‘abocanhada’ do leão: analista recomenda 4 ativos de renda fixa que pagam até IPCA + 7,1%

Mais na Exame