Invest

Caixa antecipa pagamento do Bolsa Família e abono salarial para o Rio Grande do Sul

O banco criou uma força-tarefa para acelerar o processo de habilitação do Saque Calamidade do FGTS com as prefeituras

Rio Grande do Sul: segundo dados da Defesa Civil, 67.563 pessoas estão desabrigadas (Ricardo Stuckert/Presidência da República/Divulgação)

Rio Grande do Sul: segundo dados da Defesa Civil, 67.563 pessoas estão desabrigadas (Ricardo Stuckert/Presidência da República/Divulgação)

Karla Mamona
Karla Mamona

Editora de Finanças

Publicado em 9 de maio de 2024 às 17h33.

Última atualização em 9 de maio de 2024 às 18h08.

Tudo sobreRio Grande do Sul
Saiba mais

A Caixa informou nesta quinta-feira, 9, que irá antecipar o pagamento do Bolsa Família para todos os beneficiários do estado do Rio Grande do Sul, para o primeiro dia do calendário de pagamentos que ocorrerá em 17 de maio. A medida foi tomada em conjunto com o Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome.

O banco anunciou ainda que, em parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego, irá antecipar o pagamento do abono salarial de maio e liberar duas parcelas adicionais do Seguro-Desemprego para os desempregados que já estavam recebendo antes da decretação da calamidade, ao final da última parcela.

Foi criada também uma força-tarefa para acelerar o processo de habilitação do Saque Calamidade do FGTS com as prefeituras. De acordo com o Decreto nº 5.113/2004, para habilitação ao saque do FGTS, é necessário que o município em estado de calamidade pública ou situação de emergência, devidamente reconhecidos por Portaria do Governo Federal, apresente à Caixa a declaração das áreas afetadas pelo desastre.

Conforme Decreto nº 12.016 de 7/5/2024, está dispensado também o intervalo mínimo de 12 meses para novo saque por calamidade para os trabalhadores dos municípios atingidos pela calamidade no estado do Rio Grande do Sul em maio de 2024. Após a habilitação, a população poderá realizar o saque calamidade do FGTS pelo celular por meio do aplicativo FGTS, de forma fácil e rápida, sem a necessidade de comparecer a uma agência.

Outras medidas

Entre outras medidas anunciadas pela Caixa estão a pausa de até seis meses nos contratos de financiamento habitacional nas regiões atingidas, mediante solicitação dos clientes. Também é possível a incorporação de prestações vencidas ao saldo devedor.As prestações vencidas ou pausadas são incorporadas ao saldo devedor e diluídas no prazo remanescente, respeitando-se a taxa de juros e o prazo contratados originalmente.

Para informações e solicitação de pausa e incorporação, o cliente pode acessar o Alô Caixa, pelo 4004-0104 (capitais e regiões metropolitanas) e 0800 104 0104 (demais regiões), ou procurar uma agência. O banco também dará suporte aos clientes para acionamento de seguro habitacional de contratos ativos e procedimentos para pagamento de indenizações, de forma ágil.

Os contratos habitacionais contam com cobertura dos seguros Danos Físicos ao Imóvel (DFI) e Morte e Invalidez Permanente (MIP) que podem ser acionados por mutuários com contratos não quitados.

Entre os dias 9 e 16 de maio, a Caixa vai direcionar quatro caminhões-agência para apoio ao atendimento na região.

Acompanhe tudo sobre:CaixaFree PaywallPIS/Pasepabono-salarialFGTS

Mais de Invest

FGTS: Veja quanto vai render o Fundo com a nova fórmula de correção

Posso deixar 100% dos meus bens para quem eu quiser em um testamento?

Quanto rende R$ 50 mil na poupança? E em outros investimentos?

O que é melhor: testamento ou doação em vida?

Mais na Exame