Invest

Vale salta 2% no pré-abertura de NY com disparada do minério

Commodity avançou quase 5% no porto de Qingdao nesta sessão após a China anunciar suspensão de acordo econômico com Austrália, maior produtor de minério do mundo

Instalações da Vale em Carajás, no Pará (Germano Lüders/Exame)

Instalações da Vale em Carajás, no Pará (Germano Lüders/Exame)

PB

Paula Barra

Publicado em 6 de maio de 2021 às 08h56.

Última atualização em 6 de maio de 2021 às 09h40.

Os recebidos de ações da Vale (VALE3), ou os American Depositary Receipts (ADRs), subiam 2,03% no pré-abertura da Bolsa de Nova York, segundo cotação das 8h57, em meio à disparada do minério de ferro.

A CSN (CSNA3) também seguia o movimento e avançava 1,6% no mercado americano nesta manhã. Já Gerdau (GGBR4), depois da forte arrancada ontem após balanço, e Usiminas (USIM5) operam perto da estabilidade.

A commodity negociada no porto chinês de Qingdao subiu 4,85% nesta sessão, para 201,88 dólares a tonelada, enquanto os contratos futuros do minério cotados na Bolsa de Dalian chegaram a saltar quase 7% mais cedo, indo para 182,88 dólares.

O movimento ocorre após a China suspender acordo econômico com a Austrália, a maior produtora de minério de ferro do mundo e a principal fornecedora da commodity para o gigante asiático.

Segundo comunicado da agência de planejamento chinesa (NDRC), a China decidiu suspender indefinidamente o "Diálogo Econômico Estratégico Sino-Australiano" e "todas as atividades" relacionadas ao acordo.

Em resposta, o governo australiano disse que considerou a decisão da China "decepcionante", mas informmou que segue disposto a dialogar, apesar das tensões.

Acompanhe tudo sobre:AçõesCommoditiesCSNCSNA3GerdauMinério de ferroUSIM5UsiminasValeVALE3

Mais de Invest

Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 15 milhões neste sábado; veja como apostar

Renda passiva: veja como fazer o dinheiro trabalhar por você

Casal que ganhou R$ 324 milhões em loteria americana perde fortuna com investimentos mal-sucedidos

INSS volta a exigir perícia médica para prorrogar 'auxílio-doença'; entenda

Mais na Exame