Invest

Unilever anuncia separação de negócio de sorvetes, incluindo Ben & Jerry's, e ações sobem 5%

A companhia falou que reestruturação permitiria que ela se tornasse "uma empresa mais simples e mais focada"

Ben & Jerry's faz parte da unidade de sorvetes do conglomerado (Bloomberg Businessweek/BLOOMBERG BUSINESSWEEK)

Ben & Jerry's faz parte da unidade de sorvetes do conglomerado (Bloomberg Businessweek/BLOOMBERG BUSINESSWEEK)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 19 de março de 2024 às 07h07.

Última atualização em 19 de março de 2024 às 16h01.

A gigante de bens e consumo Unilever anunciou nesta terça-feira que tem planos para separar sua unidade de sorvetes da operação da empresa como um tudo. Esse braço da companhia inclui marcas hoje como Ben & Jerry's e Magnum, por exemplo.

"Espera-se que as mudanças propostas afetem cerca de 7.500 funções predominantemente baseadas em escritórios em todo o mundo, com custos totais de reestruturação agora previstos em cerca de 1,2% do volume de negócios do Grupo para os próximos três anos (acima do cerca de 1% do volume de negócios do Grupo comunicado anteriormente)", disse a companhia em texto publicado pela imprensa.

Segundo a CNBC, as ações subiram 5,6% momentos após o anúncio, antes de reduzir ligeiramente os ganhos, sendo negociadas com alta de 4,1% às 9h20, horário de Londres. No fechamento, elas eram negociadas a 3%.

A reestruturação começará imediatamente e espera-se que seja concluída até o final de 2025, disse a empresa. Prevê-se que ela proporcionará uma economia total de custos de cerca de 800 milhões de euros (US$ 868,3 milhões).

A Unilever falou que a reestruturação permitiria que ela se tornasse "uma empresa mais simples e mais focada", com quatro divisões de negócios distintas em beleza e bem-estar, cuidados pessoais, cuidados domésticos e nutrição.

A empresa acrescentou que sua divisão de sorvetes, que gerou 7,9 bilhões de euros em receita em 2023, teria um desempenho melhor como um negócio autônomo. A divisão de sorvetes foi responsável por cerca de 13% dos 59,6 bilhões de euros de receita total da Unilever em 2023.

A companhia disse que os planos para a cisão ainda não foram finalizados, mas que "a rota de separação é o caminho mais provável". A mudança é a mais radical até agora em uma reforma mais ampla feita pelo CEO Hein Schumacher, que assumiu a empresa em julho de 2023.

Ainda segundo a CNBC, nos últimos anos, a Unilever tem enfrentado crescentes apelos, inclusive de investidores ativistas, para que reformule seus negócios em expansão, em meio a grandes flutuações no preço das ações. As ações caíram 6% em relação a um ano atrás.

A própria marca Ben & Jerry's vem trazendo algumas dores de cabeça para o grupo após tomar partido em várias questões políticas.

Em 2023, a Unilever enfrentou uma ação judicial nos EUA, sendo acusada de ter enganado investidores ao não divulgar imediatamente uma decisão de sua unidade Ben & Jerry's de parar de vender sorvete nos territórios palestinos ocupados por Israel - o caso que acabou sendo arquivado, segundo a Reuters.

No início deste ano, a empresa também enfrentou reações negativas em relação aos apelos da Ben & Jerry's pela devolução de terras indígenas "roubadas" dos EUA.

Acompanhe tudo sobre:Unilever

Mais de Invest

Reunião de Lula com Conselho Orçamentário, Boletim Focus e China: o que move o mercado

Bolsa Família: pagamento de junho começa nesta segunda-feira; RS recebe antecipado

PIS: Caixa paga abono salarial para dois grupos nesta segunda-feira; veja como sacar

Resultado da Mega-Sena concurso 2737: ninguém acerta as seis dezenas

Mais na Exame