Mercados

Seguro contra calote da França já é maior que o do Brasil

CDSs dos países da zona do euro dispararam com a crise na região

Um CDS é semelhante a um seguro tradicional e obriga que o vendedor do papel compense o comprador no caso de um calote (Ralph Orlowski/Getty Images)

Um CDS é semelhante a um seguro tradicional e obriga que o vendedor do papel compense o comprador no caso de um calote (Ralph Orlowski/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 10 de novembro de 2011 às 11h16.

São Paulo – O custo para se proteger contra um eventual calote de muitos países europeus já supera o do Brasil, mostram os dados colhidos pela Thomson Reuters CreditViews para EXAME.com. Os Credit Default Swaps (CDSs) dispararam por conta da crise dos países da zona do euro.

Veja abaixo a posição dos CDSs para títulos com vencimento de 10 anos no fechamento de quarta-feira. Cada mil pontos-base corresponde a, por exemplo, um valor de 1 milhão de dólares anuais para se proteger contra um título de 10 milhões.

CDSs de países selecionados no fechamento do dia 9 de novembro de 2011
Entenda

Um CDS é semelhante a um seguro tradicional e obriga que o vendedor do papel compense o comprador no caso de um calote. O detentor do papel recebe o valor de face do títulos que sofreu o default e o vendedor fica com o título, que pode ser resgatado em uma negociação com o emissor.

Há também a possibilidade de comprar a proteção para um título, mas sem possuí-lo. Mas essa operação chamada de “naked” está na mira dos reguladores. Os membros da União Europeia consideraram hoje uma proposta do Reino Unido para banir esse tipo de negócio.

A preocupação é de que a prática incendeie ainda mais a crise da dívida da zona do euro.

Acompanhe tudo sobre:CDSCrise gregaEuropaGréciaItáliaPaíses ricosPiigs

Mais de Mercados

Cenário é potencialmente o mais perigoso desde a 2ª Guerra, diz Jamie Dimon, CEO do J.P. Morgan

Bancos abrem temporada de balanços em queda nos EUA; Wells Fargo despenca 7%

Ibovespa sobe pelo 10º pregão seguido e fecha próximo dos 129 mil pontos

Balanços de bancos americanos, PPI dos EUA e pesquisa de serviços do Brasil: o que move o mercado

Mais na Exame