Invest

Pré-mercado: Euro cai após resultados das eleições europeias

Resultados e incerteza política abalaram o mercado europeu na manhã desta segunda-feira

Macron dissolveu o Parlamento francês depois de derrota nas eleições no último domingo (9). (Ludovic Marin/AFP/Getty Images)

Macron dissolveu o Parlamento francês depois de derrota nas eleições no último domingo (9). (Ludovic Marin/AFP/Getty Images)

Fernando Olivieri
Fernando Olivieri

Redator na Exame

Publicado em 10 de junho de 2024 às 06h38.

O euro caiu nas negociações iniciais devido ao aumento da incerteza política na Europa após as eleições parlamentares do fim de semana. O dólar permaneceu estável. As informações são da Bloomberg. A moeda sofreu queda de até 0,3%, atingindo seu ponto mais fraco em cerca de um mês, ficando atrás de seus principais pares.

Os futuros de ações dos EUA pouco mudaram nas negociações iniciais. Enquanto isso, os futuros de ações asiáticas caíram na sexta-feira (10), uma vez que os traders reduziram as apostas na flexibilização do Federal Reserve, com a maioria dos principais mercados fechados na segunda-feira (10) devido a um feriado.

O dólar manteve-se estável em relação aos principais pares nas negociações iniciais, após ter subido ao nível mais alto em mais de um mês, impulsionado por um relatório sólido de empregos que levou a uma reavaliação das possíveis reduções de taxa de juros pelo Fed. Enquanto os partidos de extrema-direita da Europa tiveram ganhos moderados no bloco no domingo, e seu desempenho foi mais ou menos conforme as pesquisas, o presidente francês Emmanuel Macron e o chanceler alemão Olaf Scholz sofreram reveses humilhantes.

Mudanças no Parlamento europeu

No último domingo (9), milhões de eleitores em toda a União Europeia foram às urnas para eleger novos membros do Parlamento do continente. A votação foi marcada por uma intensa polarização política, com ganhos significativos de partidos eurocéticos e de extrema-direita em diversos países. A ascensão desses partidos reflete uma crescente insatisfação com a política tradicional e uma busca por alternativas que prometem mudanças drásticas nas políticas migratórias e econômicas do bloco.

Com o grupo Conservadores e Reformistas, liderado pela primeira-ministra italiana, Giorgia Meloni, 72 vagas devem ser conquistadas. São dez assentos a mais do que na eleição de 2019. Outro representante da ultradireita, o Identidade e Democracia (ID), que inclui o partido da francesa Marine Le Pen, deve ficar com 58 cadeiras. Somados, chegam aos 130 assentos.

Configuração do novo parlamento europeu para os próximos cinco anos (2024 - 2029). O horário do gráfico é o de Berlim (5 horas à frente de Brasília) (União Europeia - Reprodução/Exame)

Os resultados destas eleições indicam uma fragmentação crescente dentro do Parlamento Europeu, o que poderá dificultar a formação de coalizões estáveis e a implementação de políticas consensuais. O tradicional equilíbrio de poder entre os partidos de centro-direita e centro-esquerda está sendo desafiado, e novas alianças terão que ser formadas para garantir a governabilidade.

Os impactos destas eleições são profundos não apenas para a política europeia, mas também para a economia global. A incerteza política resultante das eleições já está afetando os mercados financeiros, com o euro perdendo valor em relação ao dólar. Investidores estão cautelosos, aguardando desdobramentos que possam indicar a direção das políticas econômicas e comerciais do bloco.

Acompanhe tudo sobre:EleiçõesEuroEuropaUnião Europeia

Mais de Invest

Veja o resultado da Mega-Sena, concurso 2739; prêmio acumulado é de R$ 58,9 milhões

Quanto rende R$ 1 bilhão na poupança? E em outros investimentos?

9 Dicas de finanças para ter mais dinheiro todo mês

ETFs de Small Caps: entenda o que são e como investir

Mais na Exame