Acompanhe:

Positivo: lucro líquido ajustado é de R$ 50,5 mi no 3º trimestre queda de 6%

A receita líquida consolidada somou R$ 1,064 bilhão, 28,4% maior do que um ano antes

Positivo Tecnologia: Ebitda ajustado da empresa ficou em R$ 122,6 milhões (Positivo/Divulgação)

Positivo Tecnologia: Ebitda ajustado da empresa ficou em R$ 122,6 milhões (Positivo/Divulgação)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 9 de novembro de 2022, 20h02.

A Positivo Tecnologia registrou lucro líquido de R$ 50,5 milhões no terceiro trimestre de 2022, queda de 6% ante o mesmo intervalo do ano passado. A empresa atribui a retração ao aumento "significativo das despesas financeiras", resultante do maior nível de endividamento para financiar o forte crescimento, e da elevação da taxa de juros.

A receita líquida consolidada somou R$ 1,064 bilhão, 28,4% maior do que um ano antes. Já o Ebitda ajustado ficou em R$ 122,6 milhões, alta anual de 37%. A margem Ebitda chegou a 11,5%, 0,7 ponto porcentual acima do terceiro trimestre de 2021, impulsionada pela alavancagem operacional.

Receba as notícias mais relevantes do Brasil e do mundo na newsletter gratuita EXAME Desperta.

No relatório de resultados, a empresa destaca a redução de 0,2 ponto porcentual no índice de alavancagem em comparação ao trimestre anterior, para 1,9x, enquanto projeta a continuidade da redução nos próximos períodos.

A Positivo reafirmou a projeção de receita bruta entre R$ 5,5 bilhões e R$ 6,5 bilhões para o ano 2022, "em função dos sólidos resultados entregues e da expectativa para o desempenho no quarto trimestre de 2022", ainda de acordo com o release.

Resultados da Positivo Tecnologia por setor

O segmento denominado de commercial atingiu R$ 1,004 bilhão em receita bruta, 85,2% acima do mesmo intervalo de 2021. O montante soma a cifra de vendas corporativas, que apresentaram crescimento anual de 66%, para R$ 342,8 milhões, e instituições públicas, com R$ 661,4 milhões, 97% maior que o terceiro trimestre de 2021.

Já a área de varejo (consumer) caiu 50,4% na comparação anual, para R$ 216,9 milhões. A queda nas vendas se dá pela contração na demanda por dispositivos, devido, principalmente, à perda do poder aquisitivo dos consumidores, corroído pela inflação e alta taxa de juros no País, segundo a empresa.

"Fenômeno similar é observado ao redor do mundo, resultando em demanda aquém do esperado para o ano e elevando os estoques de grandes fabricantes de PCs e smartphones, que redirecionaram seus produtos para mercados como o Brasil", complementa a positivo.

A receita bruta da área de projetos especiais ficou em R$ 55,5 milhões no terceiro trimestre de 2022.

VEJA TAMBÉM: