Invest

Petz (PETZ3) salta até 46% após anúncio de fusão e ganha R$ 700 mi em valor de mercado

Operação considera um preço por ação de R$ 7,10, mais que o dobro da cotação do último fechamento; papel é negociado próximo de R$ 4,80 nesta sexta

União de Petz e Cobasi formará gigante do mercado pet com faturamento próximo de R$ 7 bilhões (Anita Kot/Getty Images)

União de Petz e Cobasi formará gigante do mercado pet com faturamento próximo de R$ 7 bilhões (Anita Kot/Getty Images)

Guilherme Guilherme
Guilherme Guilherme

Repórter de Invest

Publicado em 19 de abril de 2024 às 11h25.

Última atualização em 19 de abril de 2024 às 17h50.

As ações da Petz (PETZ3) chegaram a subir 46% na máxima do pregão desta sexta-feira, 19, com investidores comemorando o anúncio de fusão com a Cobasi. A operação estabelece um preço por ação de R$ 7,10, avaliando a Petz em R$ 3,28 bilhões, 103% acima da cotação de fechamento do último pregão. Mesmo com a alta de hoje, portanto, ainda há um potencial de ganho até o preço atingir o estabelecido para a operação.

Os papéis fecharam em alta de 37,14%, sendo negociados R$ 4,80. Com isso, a companhia ganhou R$ 601,3 milhões em valor de mercado para R$ 2,22 bilhões. 

Os acionistas da Petz ficarão com 50% da nova empresa acrescido um pagamento de R$ 450 milhões, enquanto os da Cobasi, com a outra metade.

Além do upside expressivo previsto para a fusão, há a expectativa no mercado de que a operação gere sinergias substanciais. Para a equipe de analistas da Ativa, a maior delas deve ser quanto à abertura de novas lojas, uma vez que ambas as empresas estão em expansão e não precisariam mais competir pelas mesmas regiões.

Outras potenciais sinergias, afirma o relatório, são quanto às oportunidades de vendas cruzadas e potenciais reduções de gastos administrativos. " A notícia é positiva para ambas as companhias, capturando sinergias claras e criando um dos maiores players do mercado pet no Brasil", afirma a Ativa. A casa, que tinha recomendação neutra para a Petz, ainda disse que irá revisar suas estimativas, considerando o novo cenário com a entrada da Cobasi.

A união de Petz e Cobasi formará a maior empresa de Petz do país, com 483 lojas e um faturamento próximo de R$ 6,9 bilhões e Ebtida ajustado de R$464 milhões.

"A Operação implicará na união de duas companhias com modelos de negócios e direcionamentos estratégicos similares, com o fortalecimento da omnicanalidade na plataforma combinada, ganho de escala e potencialização da estratégia comercial", diz o comunicado da Petz.

A nova estrutura

A fusão já vinha sendo sondada há algum tempo no mercado, apesar das incertezas sobre quando seria feita. "Um dos empecilhos diz respeito ao controle da empresa, segundo a Ativa. "A Petz tinha seu CEO, Sérgio Zimerman, com cerca de 49% da empresa, e a família Nassar, com 89,5% da Cobasi, além da Kinea, com 7,8%. Com isso, muito se discutia sobre a participação de cada acionista em uma futura fusão."

Na estrutura apresentada nesta sexta, Zimerman deverá ficar com 24,5% da nova empresa e a família Nassar com 45%. Paulo Nassar deverá ser o CEO da nova companhia e Zimerman, o presidente do Conselho Administrativo. No Conselho, serão 9 membros indicados, 5 pelos acionistas da Cobasi e 4 pelos da Petz.

*matéria atualizada após fechamento do pregão

Acompanhe tudo sobre:PetzCobasiFusões e AquisiçõesAçõesbolsas-de-valores

Mais de Invest

Lucro da Porto cresce 90,2% e atinge R$ 651 milhões no 1º trimestre

Conta para Menor de 18 Anos; entenda como funciona e como conseguir

Cresce temor sobre nova diretoria do BC e mercado já especula alta de juro em 2025

Nubank tem lucro de US$ 378,8 milhões no 1º tri, alta de 167%

Mais na Exame