Invest

Os planos do Sam’s Club para manter ritmo de expansão e abrir até 9 unidades em 2024

Após aquisição pelo Carrefour, Sam’s Club aposta em novo modelo para padronizar atendimento em clubes e alimentar crescimento

Vitor Faga, CEO do Sam’s Club no Brasil: "“Queremos abrir entre sete e nove novos clubes em 2024" (Sam's Club/Divulgação)

Vitor Faga, CEO do Sam’s Club no Brasil: "“Queremos abrir entre sete e nove novos clubes em 2024" (Sam's Club/Divulgação)

Beatriz Quesada
Beatriz Quesada

Repórter de Invest

Publicado em 21 de dezembro de 2023 às 07h02.

Última atualização em 22 de dezembro de 2023 às 11h36.

Nos últimos quatro anos, o Sam’s Club quase dobrou a quantidade de unidades espalhadas pelo Brasil, passando de 27 para 51. O ritmo de expansão ganhou força após a aquisição do Carrefour em 2022: foram nove clubes abertos nos últimos 12 meses. E para Vitor Faga, CEO do Sam’s Club no Brasil, há espaço (e demanda) para continuar crescendo em 2024. 

“Queremos abrir entre sete e nove novos clubes em 2024. É um processo que vem acontecendo em diversas regiões do País, também aproveitando os ativos do Grupo Carrefour, afirma o CEO em entrevista à EXAME Invest.

O Sam’s Club opera em um modelo de clube de compras, em que o afiliado paga uma taxa anual para ter acesso às lojas. “O nosso formato deixa o produto premium mais acessível. oferecemos opções importadas com preço comercial competitivo, muitas vezes oferecendo itens de difícil acesso no mercado brasileiro”, diz. Para além dos importados, o Sam’s Club oferece um tamanho de embalagem maior que o varejo tradicional, em um formato que fica no meio do caminho entre um supermercado e o atacadista.

Esse nicho intermediário, segundo Faga, é visto pelo Carrefour como uma oportunidade. “A decisão de expandir o negócio vem do entendimento de que é um formato complementar aos demais que o grupo oferece no Brasil”. 

As sinergias aparecem, inclusive, no formato das lojas. Atualmente o Grupo conta com nove unidades combo, que mesclam Sam’s Club e Atacadão ou hipermercado no mesmo espaço. A operação das lojas é separada, mas estacionamento e entrada são os mesmos. “É uma atratividade maior para o cliente, além de trazer eficiência de custos.”   

Padronizar a expansão

O crescimento no número de unidades trouxe um desafio de padronização. Com um número menor de clubes, era mais simples manter a unidade entre as operações, mas o crescimento acelerado demandou um novo modelo. Em parceria com a Ekantika, uma consultoria especializada na evolução dos negócios, o Sam’s Club implementou este ano um novo modelo para uniformizar as boas práticas e disseminar inovações entre os clubes. 

As mudanças incluem desde a padronização do rito de troca de turno nas lojas até a criação de reuniões semanais para troca de soluções. "Essas práticas formam uma coreografia de gestão e uma governança que envolve não só a operação, mas também todas as áreas correlatas", explica Vitor Litterio, diretor da Ekantika. 

Durante o piloto, o destaque ficou com a unidade de São Bernardo do Campo (SP), que saiu da sexta posição em vendas promocionais para o primeiro lugar em sua região apenas um mês. O Sam’s Club não abre o resultado em números, mas o CEO reforça que as expectativas estão altas. A projeção é implementar o novo modelo de gestão em todos os clubes do grupo.

Confira as últimas notícias de Invest:

Acompanhe tudo sobre:Empresas abertas

Mais de Invest

Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 15 milhões neste sábado; veja como apostar

Renda passiva: veja como fazer o dinheiro trabalhar por você

Casal que ganhou R$ 324 milhões em loteria americana perde fortuna com investimentos mal-sucedidos

INSS volta a exigir perícia médica para prorrogar 'auxílio-doença'; entenda

Mais na Exame