Acompanhe:

Negócios na bolsa caem 40% em jogos do Brasil na Copa do Mundo

Volume registrado no final da fase de grupos foi maior do que o registrado nos primeiros dois dias de Copa

Painel de cotações da B3: negociações caem em dia de jogos na Copa (Germano Lüders/Exame)

Painel de cotações da B3: negociações caem em dia de jogos na Copa (Germano Lüders/Exame)

B
Beatriz Quesada

2 de dezembro de 2022, 20h29

Quando o Brasil entra em campo na Copa do Mundo 2022, a bolsa responde com queda de negócios. O volume de negociação na B3 durante os três jogos da seleção brasileira na fase de grupos foi 40% menor do que o registrado antes da competição começar.

O levantamento feito pelo diretor comercial do TradeMap Einar Rivero, a pedido da EXAME Invest indicou, no entanto, que a quantidade de negócios nesta sexta-feira, 2, foi maior do que nos primeiros dois jogos do Brasil.

Os negócios na bolsa movimentaram R$ 22,7 bilhões nesta sexta, 22% abaixo da média para o mês de novembro até o dia 23 de novembro, data de estreia do Brasil na Copa. 

“Podemos dizer que o jogo desta sexta-feira, pelo fato de não ter tanta relevância [pelo Brasil já estar classificado], fez com que o volume do dia fosse superior ao dos outros dois dias em que a seleção jogou. Ainda assim, o saldo é menor que a média antes da realização do torneio”, explica Rivero.

Leia mais: Brasil perde para Camarões por 1 a 0, mas avança em primeiro e encara a Coreia