Acompanhe:

Morgan Stanley fala em mudança de paradigma e endossa alerta sobre incerteza econômica

Seleção de ações de empresas vencedores se torna ainda mais relevante diante de novo cenário, diz Ted Picks, vice-presidente do banco americano

Modo escuro

Continua após a publicidade
Morgan Stanley: um dos principais bancos de investimento dos Estados Unidos (Shannon Stapleton/Reuters)

Morgan Stanley: um dos principais bancos de investimento dos Estados Unidos (Shannon Stapleton/Reuters)

D
Da Redação

Publicado em 6 de junho de 2022 às, 09h05.

Última atualização em 6 de junho de 2022 às, 09h08.

O coro pessimista sobre o futuro da economia global ganhou mais um representante de peso: Ted Picks, vice-presidente do Morgan Stanley, um dos principais bancos de investimento dos Estados Unidos.

Os motivos, para Picks, estão claros. "É um momento extraordinário. Temos nossa primeira pandemia em 100 anos, a primeira invasão na Europa em 75 anos e a primeira inflação global em 40 anos", afirmou Ted Picks em evento em Nova York na última semana, segundo a CNBC. A combinação dos fatores, disse, "sinaliza uma mudança de paradigma" e o fim de uma era de estímulo monetário. 

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia

A nova era, segundo Picks, será de taxas de juros acima da inflação e riscos adicionais ao mercado de ações. "Faz muito tempo que tivemos que considerar como é um mundo com taxas de juros reais e custo real de capital que distinguirão empresas vencedoras de empresas perdedoras, ações vencedoras de ações perdedoras"

Mas a mudança de paradigma não será do dia para noite, disse Picks, devendo levar entre 12 e 24 meses.

As declarações do vice-presidente do Morgan Stanley vão de encontro com a maior cautela de alguns dos principais nomes de Wall Street.

O presidente do J.P. Morgan, Jamie Dimon, chegou a alertar para a chegada de um "furacão" na economia global na última semana. No início do mês o ex-presidente do Goldman Sachs, Lloyd Blankfein, falou em um risco "muito, muito alto" de recessão nos Estados Unidos.

Veja também
J.P. Morgan está se preparando para um ‘furacão’ na economia, diz Jamie Dimon

Últimas Notícias

Ver mais
Mesmo com recessão, índices japoneses estão perto de recordes. Por quê?
seloMercados

Mesmo com recessão, índices japoneses estão perto de recordes. Por quê?

Há 2 semanas

Hegemonia do dólar pode ser ameaçada por bitcoin e CBDCs, diz Morgan Stanley
Future of Money

Hegemonia do dólar pode ser ameaçada por bitcoin e CBDCs, diz Morgan Stanley

Há 2 meses

EUA devem evitar recessão e ter 'pouso suave' em 2024, mas riscos permanecem
Economia

EUA devem evitar recessão e ter 'pouso suave' em 2024, mas riscos permanecem

Há 2 meses

Morgan Stanley abandona aposta em rali do dólar em 2024
seloMercados

Morgan Stanley abandona aposta em rali do dólar em 2024

Há 2 meses

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais