Invest

Marisa (AMAR3): conselho aprova ampla reestruturação com renúncia de CEO e conselheiro

Vice-presidente que irá assumir o comando da empresa interinamente é acusado pela CVM de insider trading, segundo jornal

Marisa: ação acumula mais de 90% de queda desde o início da pandemia (Marisa/Divulgação)

Marisa: ação acumula mais de 90% de queda desde o início da pandemia (Marisa/Divulgação)

GG

Guilherme Guilherme

Publicado em 8 de fevereiro de 2023 às 09h04.

Última atualização em 8 de fevereiro de 2023 às 10h31.

A Marisa (AMAR3) anunciou o pedido de renúncia do presidente da empresa Adalberto Pereira Santos e do membro de seu Conselho de Administração Marcelo Adriano Casarin.

O Conselho informou já ter inciado os processos de seleção de um novo presidente e membro do conselho. Enquanto isso, Alberto Kohn de Penhas, atual vice-presidente comercial, irá comandar a empresa como presidente interino.

Segundo a Marisa, um novo conselheiro deverá ocupar a cadeira de Marcelo Casarin até a próxima Assembleia Geral Ordinária, prevista para 27 de abril.

A renúncia do CEO e de um dos membros do conselho coincidiu com a contratação da BR Partners para assessorar a Marisa no processo de renegociação de dívidas e da Galeazzi Advogados para auxiliá-la no aperfeiçoamento de sua estrutura de custos. A dívida líquida da companhia no terceiro trimestre era de R$ 566,1 milhões.

As mudanças dentro da Marisa ocorrem em meio às investigações da CVM sobre supostas compras indevidas de ações por parte de Márcio Goldfarb, da família controladora do negócio, segundo O Globo.

Ainda de acordo com o jornal, Alberto Kohn de Penhas, que assumirá a presidência da Marisa interinamente, é acusado pela CVM de insider trading, que é a negociação de ações no mercado com uso de informações privilegiadas. 

Negócio decadente

Em declínio desde 2013, o valor de mercado da Marisa encerrou o último pregão a R$ 387,4 milhões -- um dos mais baixos entre as empresas listadas do setor. A Guararapes, da Riachuelo, tem R$ 2,27 bilhões e a C&A Brasil, 804,5 milhões. A Renner, líder do segmento, tem R$ 19,34 bilhões e o Grupo Soma, R$ 7,49 bilhões.

As ações da Marisa acumulam 64,5% de queda no período de um ano e estão cotadas atualmente a R$ 1,13. Desde o início da pandemia, em 2020, as ações acumulam perdas de mais de 90%.

Acompanhe tudo sobre:Açõesbolsas-de-valoresLojasMarisa

Mais de Invest

Cuidado com o Leão: os mitos sobre o IR que vão te deixar na mira da Receita

Bolsa abre no feriado? Veja o funcionamento da B3 no Corpus Christi em 2024

Endividamento das famílias brasileiras cai e alcança 48% em março, segundo Banco Central

IR 2024: 11 milhões ainda não enviaram a declaração; prazo termina em 5 dias

Mais na Exame