Localiza ainda pode saltar 76% segundo cálculos do BTG; entenda

Desdobramentos do processo de fusão ainda não estão incorporados no preço da ação, dizem os analistas
Localiza: vendas após a fusão podem destravar valor para as ações (Localiza Hertz/Divulgação)
Localiza: vendas após a fusão podem destravar valor para as ações (Localiza Hertz/Divulgação)
Beatriz Quesada
Beatriz QuesadaPublicado em 30/05/2022 às 17:53.

A Localiza (RENT3) não tem mostrado ganhos expressivos no preço da ação apesar da aprovação dos órgãos reguladores para a fusão com a Unidas. Desde que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica, o Cade, deu o aval para a operação em dezembro do ano passado, os papéis da companhia acumulam queda de 0,77%. 

O papel, no entanto, ainda não incorporou no preço os desdobramentos da fusão. A avaliação é do BTG Pactual (do mesmo grupo controlador da EXAME). Em relatório divulgado nesta segunda-feira, 30, o banco reitera preço-alvo de R$ 75 para a Localiza, o que representa um ganho potencial (upside) de 76%.

Um dos tópicos que deve ajudar a melhorar o sentimento dos investidores sobre a ação no curto prazo são as possíveis operações decorrentes da fusão. Isso porque, para evitar a concentração de mercado, a Localiza deve se desfazer de alguns ativos.

Entre as possíveis vendas estão parte da frota de locação de veículos da Unidas, que tem cerca de 50 mil carros, além da venda da própria marca Unidas e de parte de suas lojas de seminovos.

“Assumindo os preços atuais de carros usados, esperamos que a venda gere um potencial de desalavancagem de R$ 3 a 4 bilhões para a Localiza, ajudando na expansão da frota de combustível neste ano e no próximo. Esperamos que o anúncio seja um catalisador para as ações, dadas as sinergias relevantes a serem capturadas”, informou o relatório.

Outro ponto que pode reforçar o desempenho da Localiza são as discussões sobre o Projeto de Lei 5.638/2020, que pode fornecer incentivos fiscais para o setor de turismo. Para o BTG, a aprovação da lei pode ter como consequência a redução de impostos federais sobre aluguel de carros, destravando valor para a companhia.