Invest

Irã x Israel: mercado do petróleo 'ignora' conflito e preço cai na manhã desta segunda-feira

Os contratos futuros do tipo Brent para junho eram negociados a US$ 90,18 por barril

Publicado em 15 de abril de 2024 às 06h27.

Última atualização em 15 de abril de 2024 às 12h12.

Os preços futuros do petróleo bruto dos EUA começam a semana com os investidores respirando aliviados depois que Israel se defendeu de um ataque aéreo em grande escala do Irã no sábado. Washington reafirmou seu apoio a Israel, mas disse que não irá entrar no confronto e apelou para que se evite uma guerra ampla no Oriente Médio.

O contrato do West Texas Intermediate (WTI, um fluxo de petróleo bruto produzido no Texas e no sul de Oklahoma e usado como referência na precificação da commodity) para maio estava avaliado em US$ 84,75 por barril, no início das negociações desta segunda-feira. Os contratos futuros do Brent para junho caíram ligeiramente para US$ 89,65 por barril.

Na sexta, o petróleo bruto dos EUA fechou em US$ 85,66 por barril, enquanto o benchmark global ficou em US$ 90,45. Os futuros do WTI começaram o ano em torno de US$ 71 por barril.

O mercado de petróleo bruto está agora se preparando para a resposta do governo de Netanyahu ao ataque e se isso marca o início de uma guerra direta entre Israel e o Irã, de acordo com Jorge Leon, vice-presidente sênior da Rystad Energy, ao canal CNBC.

"Na pior das hipóteses, uma retaliação enérgica por parte de Israel poderia desencadear uma espiral de escalada, potencialmente levando a um conflito regional sem precedentes", disse Leon. "Em tais circunstâncias, os riscos geopolíticos aumentariam significativamente."

O Irã é o sétimo maior produtor de petróleo do mundo, segundo dados do US Energy Information Administration, um centro de estudos e análises independente.

O gabinete de guerra de Israel volta a se reunir nesta segunda-feira para discutir possíveis retaliações contra o Irã. Até então, não havia sido acordada nenhuma medida, segundo fontes ouvidas pela rede Al Jazeera.

Havia uma ordem para que escolas suspendessem as atividades nesta segunda-feira (dia 15), sob o risco de novas ofensivas. O governo, porém, voltou atrás e anunciou que as instituições poderiam reabrir. A mudança pode ser avaliada como um indicativo de que uma resposta israelense não deve acontecer no curto prazo.

Ataques do Irã no final de semana

Um dia após ataque, o Conselho de Segurança da ONU pediu cautela a todos os lados. O secretário-geral, Antonio Guterres, afirmou que Oriente Médio está 'na beira do abismo' e que um conflito de grande porte traria grandes impactos para a população civil.

O Irã lançou mais de 300 drones e mísseis contra alvos militares em Israel no sábado, em um ataque que o presidente dos EUA, Joe Biden, descreveu como "sem precedentes". A Casa Branca, porém, adiantou que não iria participar de retaliações contra o Irã.

O papel de China e Rússia nesse novo conflito também é alvo de especulações entre os analistas.

Acompanhe tudo sobre:IsraelOriente MédioPetróleo

Mais de Invest

Receita Federal autoriza a Temu a operar no Remessa Conforme e vender para o Brasil

Morre Ivan Boesky, condenado por escândalos de insider trading nos anos 1980

RS: Parcela extra do seguro-desemprego será paga na terça-feira; veja quem recebe

Receita Federal libera consulta ao 1º lote do IR 2024 esta semana; veja quem recebe

Mais na Exame